ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

DELEGACIA E UNIDADE DA PM SÃO ATACADAS

Delegacia é atacada na Casa Verde, zona norte de São Paulo. 13º DP e 9 º Batalhão da Polícia Militar, no mesmo terreno, foram alvos de tiros

O Estado de S. Paulo 07/08/2012

SÃO PAULO - O 13º DP (Casa Verde), na zona norte da capital paulista, foi atacado por volta das 6h20 de terça-feira, 7. Dois homens em uma moto dispararam seis tiros contra a delegacia, que fica na Avenida Casa Verde, 677. Parte dos disparos acertou o pilar de um edifício onde funciona uma base da 1º Companhia do 9 º Batalhão da Polícia Militar. Ninguém se feriu.

O trecho da Avenida Casa Verde em frente ao distrito foi isolado por cones por volta das 7h para perícia, mas, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), foi liberado às 8h. Procurada, a PM não se manifestou.

No endereço atacado funciona também a 4ª Seccional Norte, departamento responsável pelo 13º DP e por outras três delegacias da região: 9º DP (Carandiru); 72 º DP (Vila Penteado); e 73 º DP (Jaçanã).

O 13º DP tem uma carceragem destinada a presos com nível superior. Em 2008, a delegacia recebeu Alexandre Nardoni, condenado pela morte da filha, Isabella, de 5 anos, em março de 2010.