ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

POLICIAIS DA PRF PROMETEM BLOQUEAR RODOVIAS

ZERO HORA ONLINE, 08/08/2012 | 11h58

Congestionamentos à vista. 

Prestes a entrar em greve, policiais rodoviários federais prometem bloquear cinco trechos de rodovias gaúchas. Manifestações estão programadas para terem início às 14h desta quarta-feira e podem durar até três horas

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) prometem bloquear, total ou parcialmente, pelo menos cinco trechos de rodovias no Estado a partir das 14h desta quarta-feira. A mobilização consiste no último ato dos servidores antes da greve nacional da corporação, que deve ser iniciada na próxima semana.

Os policiais devem se mobilizar nas rodovias Rio Grande-Pelotas (BR-392), Canoas-Montenegro (BR-386), Porto Alegre-Uruguaiana (BR-290) e São Borja-São Luiz Gonzaga (BR-285). Cerca de cem agentes irão se reunir no vão móvel da ponte do Guaíba, em Porto Alegre, conforme o Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Rio Grande do Sul (Siinprf/RS). Os protestos podem durar até três horas.

A reivindicação dos agentes é pelo reforço em investimentos na segurança das estradas. Segundo o presidente do Sinprf/RS, Francisco Dalla Valle Von Kossel, apenas 4% do orçamento da União para a segurança pública estariam sendo repassados à PRF.

— Estamos prevendo o sucateamento da instituição e seu colapso nos grandes eventos dos próximos anos (Copa do Mundo e Olimpíada) — alega Kossel.

Além disso, no Brasil, são menos de 9 mil policiais rodoviários. No RS, são 690 e pelo menos três postos teriam sido fechados. O ideal no Estado, conforme Kossel, seria um cenário com 1.250 agentes. Os sindicatos nacionais da categoria pedem a realização imediata de concursos públicos para o preenchimento das 4 mil vagas que estariam em aberto.

Outras reivindicações são melhores condições de trabalho e reestruturação na carreira. De acordo com o Sinprf/RS, policiais estariam trabalhando em desvio de função, inclusive na manutenção de veículos. Na próxima segunda-feira, uma assembleia geral marcada para as 13h pode definir o início da greve nacional, que seria a primeira na história dos 84 anos da corporação.

Em São Paulo, desde o início da manhã, policiais rodoviários bloqueiam três das quatro faixas da Rodovia Presidente Dutra, na altura de Guarulhos. O congestionamento passou dos 10 quilômetros na Grande São Paulo, informou o Sinprf.