ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

OPERAÇÃO PADRÃO É ILEGAL

Serviço: saiba como proceder durante a greve dos servidores federais em estradas e aeroportos Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
ZERO HORA 17 de agosto de 2012 | N° 17164

POR TRÁS DA GREVE. Operação-padrão é ilegal, considera STJ

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatou ontem o pedido de liminar do governo e considerou ilegal a operação-padrão dos servidores da Polícia Federal (PF) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Pouco antes da decisão do STJ, o advogado geral da União, Luís Inácio Adams, classificou a ação dos servidores da PF e da PRF como “sabotagem”. Para Adams, o movimento de greve e a operação padrão das categorias levaram a uma situação “inaceitável”.

A ação do governo pede ainda que seja considerado desvio de finalidade das competências dessas polícias, “já que não estão fazendo a fiscalização de controle que a lei determina, abusando de sua competência”. Na ação, o governo pede ainda a determinação de multa ao sindicato das categorias, no valor de R$ 200 mil por dia de paralisação.

A mobilização de agentes da PF e da PRF causou atrasos em postos de fronteiras, no aeroporto da Capital, e na freeway (BR-290), em Gravataí ao longo do dia de ontem. Iniciada às 6h e encerrada às 16h, a operação padrão da PF foi realizada nos postos de fronteira de Chuí, Bagé e Uruguaiana, além do aeroporto Salgado Filho.

À tarde, no km 70 da freeway (BR-290), agentes da PRF bloquearam parcialmente a rodovia. A ação, que durou das 15h às 17h20min, provocou dois quilômetros de congestionamento.