ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

AGENTES PRISIONAIS PARALISARAM. POLÍCIA CIVIL PARALISARÁ DIA 15/06

Paralisação inesperada. Na Polícia Civil, notórios apoiadores da cartilha petista começam a estudar outros catecismos. WANDERLEY SOARES, REDE PAMPA, O SUL, 26/05/2011

O Conselho de Representantes da Ugeirm (Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia do RS) aprovou, ontem, uma paralisação de atividades. Entre as 8h e 18h do dia 15 de junho, os agentes policiais estão orientados a comparecer às delegacias, mas os atendimentos serão restritos às ocorrências de vulto.

Também foi aprovada a participação dos policiais civis no ato público do dia 2 de junho, promovido pelo Fórum de Servidores e outras entidades representativas dos servidores públicos estaduais contra o "Pacotarso", que pretende reforma da previdência e calote no pagamento de RPVs.

São ocorrências de vulto: homicídio, latrocínio, estupro, atentado violento ao pudor, lesão corporal grave e todos os casos que tiverem menores e idosos entre as vítimas.

Esta posição da Ugeirm é preocupante para o Piratini, pois, na Polícia Civil, esta entidade era tida como apoiadora incondicional do pensamento petista e da escorregadia transversalidade.

Presídio

Cerca de 100 agentes da Susepe que atuam na Penitenciária Modulada de Montenegro paralisaram as atividades na manhã de ontem. Apenas o efetivo mínimo de 30% previsto em Lei permaneceu nas dependências do presídio. A ação atrasou em meia hora as visitas aos apenados com início marcado para as 9h. A categoria denunciou a falta de até 2.500 agentes penitenciários no Estado e exigiu melhores condições de trabalho.

Casa própria

A Associação dos Servidores de Nível Médio da Brigada Militar lançou, ontem, o primeiro feirão da Casa Própria na Capital. Durante a solenidade a categoria pediu ao governador implantação do piso salarial de 3.500 reais para servidores da Segurança Pública conforme a PEC 300. Tarso Genro disse que apóia a proposta, mas nada prometeu.

Droga

O IGP (Instituto-Geral de Perícias) analisará 19 pedras de uma droga apreendida ontem à noite em Sapucaia do Sul. Segundo o titular do Denarc, Eliomar Franco, ainda não há laudo especifico que identifique o oxi e o diferencie do crack, mas alguns elementos estão sendo considerados no estudo.