ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

VISUAL BRIGADIANO NA COPA


WANDERLEY SOARES, O SUL

Porto Alegre, Sexta-feira, 22 de Junho de 2012.




Na minha torre chegaram alguns esboços.
Com a visão voltada para a Porto Alegre da Copa, a inteligência e estrategistas em estilística da Brigada Militar estão estudando um novo e garboso estilo para a farda de homens e mulheres que estarão em atividade no evento. Representantes da tropa ainda não foram convidados a dar sugestões. Tudo está em estudo em gabinetes onde, inclusive, são analisados modelitos de policiais europeus, asiáticos e africanos. Na minha torre chegaram alguns esboços nos quais é possível perceber que, sem ser abandonado o cáqui tradicional, as vestes brigadianas serão bastante despojadas na busca de uma imagem de polícia não policialesca. Não notei a abolição do bico-de-pato branco, da linhagem de sorveteiro, atualmente em uso, que compõe um contraste exótico com a seriedade da nossa Brigada sempre guerreira do e pelo bem. Nessa moldura, acredito que além do novo visual brigadiano, também haverá um avanço na estratégia global da segurança pública gaúcha, cujos profissionais devem estar bem vestidos, sim, mas compondo efetivos amplos e confiáveis, bem equipados, remunerados dignamente e com atuação nas 24 horas do dia.

Quadrilheiros

Três membros de uma quadrilha de assaltantes foram presos, ontem, durante operação realizada em Caxias do Sul pela Brigada Militar, Polícia Federal e Ministério Público. As investigações começaram em março após uma tentativa de roubo a uma agência Caixa Econômica Federal.

Senhora

Quatro traficantes foram presos na Vila Bom Jesus, Zona Leste da Capital, entre eles uma senhora de 64 anos apontada como chefe da quadrilha. A operação desencadeada pelo Denarc apreendeu 650 pedras de crack e balanças de precisão. O bando dividia pontos de tráfico com integrantes dos Bala na Cara.

Ditadura

Uma operação conjunta da Brigada Militar e Polícia Civil permitiu o retorno, ontem, de 50 famílias às suas residências no loteamento Timbaúva, bairro Rubem Berta, Zona Norte da Capital. Os moradores haviam sido expulsos pelos traficantes que usavam os imóveis como bocas-de-fumo. A ação pode ser analisada como da maior importância. No RS não é admissível áreas com a ditadura de quadrilheiros.

Farsa

Após oito anos no serviço público, um policial civil foi exonerado do cargo por causa de um erro administrativo. Em 2001, o moço passou no concurso para inspetor, mas durante uma das provas ele machucou o tornozelo e não pode dar continuidade ao processo seletivo. Tendo se saído bem nas outras etapas, o candidato conseguiu uma liminar e entrou para a Polícia Civil. No ano passado, no entanto, o inspetor foi chamado para fazer a prova, mas na hora do exame, na verdade se tratava de outro candidato com o nome parecido com o dele. Tudo bem, mas, se isso aconteceu, os burocratas que engoliram a farsa também deveriam ser responsabilizados.

Ilustres e ilustrados

O coronel Fábio Duarte Fernandes, da Casa Militar do Piratini, que irá a Buenos Aires por conta do erário para participar do Segundo Fórum de Sociologia da La ISA - Justicia Social e Democratización - é, até por coronel ser, forte candidato ao comando-geral da Brigada Militar. Tão ilustre e ilustrado como o atual comandante, coronel Sérgio Roberto de Abreu, é sabido que Fábio, com experiência em assessoramento na Assembleia Legislativa, sabe tudo de como administrar diárias de viagens.