ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

AMEAÇADO DELEGADO QUE INDICIOU GRUPO DE EXTERMÍNIO DE ALVORADA

Polícia investiga ameaças a delegado que indiciou PMs ligados a grupo de extermínio em Alvorada

CASO DE POLÍCIA - Postado por Cid Martins, às 15:14 04 de junho de 2012 
 
O delegado Wagner Dalcin, que investigou desde o ano passado o chamado Pelotão da Morte em Alvorada, registrou ocorrência de ameaça de morte em distrito policial do município. Segundo testemunhas, ele é alvo de um suposto ataque que estava sendo planejado justamente por ter investigado os PMs denunciados por integrar grupo de extermínio na região. O objetivo agora é apurar se as informações procedem e identificar os envolvidos, bem como a ligação deles com os quatro brigadianos detidos. Dalcin já está tomando medidas de segurança, além disso, não atua mais em Alvorada.

Prisão

No dia 25 de maio, o Ministério Público denunciou quatro PMs acusados de envolvimento em chacina de quatro pessoas ocorrida em julho de 2011, fato que deu início à investigação do grupo de extermínio formado por brigadianos. Antes da denúncia, a Polícia indiciou três, dos quatro PMs que foram presos em março deste ano. Um quarto envolvido foi solto pelo fato de terem surgido informações que comprovaram o não envolvimento dele na chacina. No entanto, outro PM que foi indiciado apenas por falso testemunho, acabou sendo denunciado pela Promotoria dia 25 de maio e teve prisão preventiva decretada. Ele se apresentou à Corregedoria da Brigada Militar na semana passada e foi detido. Portanto, agora são quatro suspeitos presos, os brigadianos Marcelo Machado Maier, Marcio Peron Machado
Maier, Fernando de Souza e Silva e Guilherme Leal de Almeida, este último detido semana passada.

Ameaças ao Governador 

O delegado Wagner Dalcin explica que entre os quatro PMs detidos, dois deles, Marcelo Machado Maier e Fernando de Souza e Silva, são os mesmos apontados como envolvidos nas ameaças ao governador do Estado em 2011 durante protestos com queima de pneus e uso de artefatos explosivos. Mais três estão sendo investigados pela chacina de julho do ano passado e outros cinco também são suspeitos de envolvimento em um triplo homicídio ocorrido em 2008. Com isso, o grupo de extermínio em Alvorada pode contar com pelo menos 12 brigadianos. Ainda sobre a chacina de julho de 2011, os PMs investigados teriam inventado um álibi para evitar envolvimento no crime. Duas das vítimas iriam depor contra alguns deles  em um processo sobre suspeita de tortura.

FONTE:  http://wp.clicrbs.com.br/casodepolicia/?topo=52,1,1,,171,e171