ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 19 de junho de 2012

POLICIAIS MILITARES SÃO BALEADOS EM TIROTEIO NA SERRA

ZERO HORA, 19 de junho de 2012 | N° 17105

ASSALTO A COMÉRCIO - ROGER RUFFATO | FARROUPILHA 

A área central de Farroupilha, na Serra foi palco de troca de tiros entre assaltantes e policiais militares na manhã de ontem, depois que três homens armados com revólveres e pistolas invadiram a Fruteira do Parque, na Rua Barão do Rio Branco. Dois bandidos foram presos.

Eram 7h30min. O comerciante José Pasi, 50 anos, estava na garagem do estabelecimento e foi surpreendido pelo trio, mascarado.

– Dei tudo o que tinha nos bolsos, mas eles exigiram mais. Me obrigaram a subir até o andar superior, onde moramos – conta o comerciante.

Os bandidos não perceberam que dois funcionários flagraram a movimentação e se esconderam. Os dois chegaram até a câmara fria, trancaram-se e telefonaram para a BM.

Na casa, os ladrões exigiram mais dinheiro de Pasi e da mulher dele. O casal entregou o que tinha.

– O momento mais tenso foi quando ouviram as sirenes e saíram correndo pela sacada – relata Pasi.

Os PMs foram recebidos a tiros. Entrincheirados na sacada, os bandidos balearam dois policiais. O trio escalou uma parede, até o telhado da fruteira, e fugiu. Um dos assaltantes saltou no telhado de uma casa vizinha. A cobertura cedeu, ele caiu na garagem e, mesmo assim, conseguiu fugir.

Sobre o telhado, os bandidos em fuga abandonaram um revólver calibre 38 e uma pistola 380. Um deles ainda invadiu uma loja de autopeças e obrigou o dono a embarcar numa Fiorino e dirigir em direção a Caxias do Sul. A Fiorino foi interceptada pela polícia e o bandido se entregou. Após buscas, o segundo assaltante foi detido. Até a noite de ontem, o terceiro não havia sido encontrado. Os PMs continuavam internados.