ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 23 de junho de 2012

QUEM TEM CHEFE TEM TUDO


 WANDERLEY SOARES, O SUL

Porto Alegre, Sábado, 23 de Junho de 2012.



Promoções no âmbito da oficialidade brigadiana aquecem os primeiros dias de inverno.

Os critérios de promoções estabelecidos em toda a área do poder público - leia-se Executivo, Legislativo e Judiciário - são tradicionalmente motivo de polêmica, pois envolvem uma alquimia de corredores palacianos que desencadeia uma exegese que se debruça desde a valorização e conquista de pontos por cursos de boas maneiras até aos atos de embaçar e esquecer atos de bravura. Na Brigada Militar isso não poderia ser diferente e, agora, estão decididas as promoções da oficialidade da corporação determinadas pelo governo da transversalidade. Da minha torre, por ética pessoal e dever de ofício, sempre prego o aperfeiçoamento das instituições, especialmente as sustentadas pelo erário, mas as regras do jogo podem e devem ser discutidas, mas sempre respeitadas enquanto vigentes. Mando, nessa moldura, meu abraço aos oficiais promovidos, entre os quais tenho leitores e amigos, e para aqueles que, igualmente elevados na carreira, se ufanam nunca terem lido uma só das minhas linhas. Aos que não chegaram às novas estrelas e gemas alerto para não esquecerem, daqui para frente, que quem tem chefe tem tudo.

Tráfico

Policiais civis de Alvorada prenderam, ontem, no bairro São Pedro, um homem de 29 anos, foragido da Justiça. Com ele, foram apreendidas 3,5 mil pedras de crack, 200 kg de cocaína pura e uma carteira de habilitação falsa. Trata-se de uma grande personalidade do tráfico.

Crime e castigo

Um lojista matou um ladrão durante tentativa de roubo, ontem, no Centro de Porto Alegre. O ataque foi contra a joalheria e ótica Alberto, na avenida Salgado Filho, perto da rua Dr. Flores. O criminoso invadiu o local pouco depois das 9h. De acordo com a polícia, o comerciante Celestino Medeiros da Cunha reagiu e baleou o criminoso. Outros dois bandidos que estavam do lado de fora da loja escaparam. Como sempre, a polícia recomenda que esse tipo de reação não seja imitado, pois com raridade a vítima leva a melhor, a não ser no caso de velhinhas.

Pratos limpos

Brigadianos e comunidade de Montenegro aguardam os resultados de procedimentos sobre uma diligência realizada de forma aparentemente obscura com viatura discreta e que teria como protagonista o coronel Edar Borges, comandante do Comando Regional sediado naquele município. Os detalhes do episódio são conservados em sigilo pela corporação, mas certamente no tempo certo o coronel colocará tudo em pratos limpos.

Visual brigadiano

Diante da informação que projetei, ontem, de minha torre, de que o governo está providenciando em mudar a farda brigadiana para a Copa, um conselheiro me trouxe a lembrança de que Tarso Genro, quando prefeito de Porto Alegre, sem escorregar das exigências legais, contratou a estilista gaúcha Milka Wolff para desenhar o uniforme dos garis da Capital. No entanto, creio que, agora, nem Milka nem Rui, este o grande ícone da moda do extremo Sul do Brasil, foram consultados sobre a farda brigadiana da Porto Alegre da Copa.