ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

SUMIÇO DE PEDREIRO


ZERO HORA 12 de agosto de 2013 | N° 17520

PEDREIRO. Ativistas cobram solução para sumiço de pedreiro

Cerca de 50 pessoas participaram ontem de um ato – convocado pela Anistia Internacional – de solidariedade à família do pedreiro Amarildo Dias de Souza, 43 anos, desaparecido desde 14 de julho, quando foi levado por policiais militares de sua casa à sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha “para averiguação”.

Além dos seis filhos e da mulher de Amarildo, participaram familiares da juíza Patrícia Acioli, executada por PMs há dois anos, artistas e representantes de grupos de direitos humanos. Os ativistas estenderam duas faixas na Rocinha.

Mulher do pedreiro, Elizabete Gomes da Silva (ao centro, na foto) contestou denúncias de que sua casa seria utilizada como refúgio de traficantes:

– Estão inventando isso para mudar o foco, querendo colocar a culpa do sumiço e da morte do meu marido na família. Hoje está sendo o primeiro Dia dos Pais que meus filhos não o terão por perto. A caçula, de cinco anos, era muito apegada ao pai e pergunta por ele.