ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

POLICIAL REAGE A ASSALTO E BANDIDO MORRE

ZERO HORA 06/08/2013 | 01h48

Reação

Homem é morto por policial civil durante tentativa de assalto na zona sul de Porto Alegre. Suspeito estava usando um revólver calibre 38 furtado no momento do crime

Um policial civil reagiu a uma tentativa de assalto no Bairro Nonoai, zona sul da Capital, e matou o suspeito. A ação ocorreu por volta das 17h40min desta segunda-feira, quando um inspetor da 3ª DPPA estava em seu carro particular na esquina da Avenida São Sebastião com Rua Otávio de Souza.

O homem teria se aproximado do veículo e, com um revólver apontado para o pescoço do motorista, exigiu o celular e a carteira. O inspetor entregou seus pertences. Ao reconhecer a identificação funcional de policial civil, o suspeito teria começado a atirar na lateral do veículo. O inspetor sacou sua pistola e atirou no homem, ferindo-o no peito duas vezes. O policial nada sofreu.

Segundo a Polícia Civil, a vítima foi identificada como Alberto Rafael Rodrigues Afonso, 29 anos. Ele tem diversos antecedentes por roubo, tráfico, receptação, tráfico de drogas e no momento do ataque usava uma arma furtada. Uma mulher que se apresentou à polícia como companheira da vítima disse que ele teria saído do Presídio Central na semana passada.


DIÁRIO GAÚCHO