ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

COMANDANTE EXONERADO RECEBE SOLIDARIEDADE NAS REDES SOCIAIS


Comandante da Polícia Militar exonerado recebe solidariedade da corporação nas redes sociais. Erir Ribeiro Costa teve apoio do também ex-comandante Ubiratan Ângelo. Segundo Ubiratan, há algo de errado com um governo que já teve três chefes de Polícia Civil e cinco comandantes da PM

ANA CLÁUDIA COSTA
O GLOBO
Atualizado:6/08/13 - 12h42

O ex-comandante da PM, coronel Ubiratan Ângelo, também se solidarizou com coronel Costa Filho 
André Teixeira - 27/09/2007 / Agência O Globo


RIO - A exoneração do comandante geral da Polícia Militar, coronel Erir Ribeiro Costa Filho, provocou uma revolta em grande parte da corporação. Pelo Facebook, onde o coronel possui uma conta com mais de quatro mil amigos, dezenas de recados de praças e oficiais demonstraram solidariedade ao coronel que todos identificam como um homem integrado e defensor da tropa. Nas postagens, amigos de farda destacam a simplicidade e a fidelidade do coronel para com seus comandados.

O coronel aproveitou para agradecer pela rede social o apoio que está recebendo de outros militares desde que sua exoneração do comando da Polícia Militar foi anunciada nesta segunda-feira:

"Eu, Erir Ribeiro Costa Filho, coronel da PM, agradeço a cada policial militar que ombreou junto a mim neste um ano e 10 meses que estive à frente do comando da corporação. Sinto orgulho de poder ter contado com meus policiais nos momentos de instabilidade social nos últimos dois meses e sei que vocês sentiram o mesmo. Alguns querem desmerecer meus atos, com informações falsas de que serei candidato. Essas intrigas só podem partir daqueles que não sabem comandar, chefiar ou dirigir. Enfim, trabalhei todos esses anos pela minha corporação, pelos meus policiais, sem esperar nada em troca. O respeito e a amizade dos meus comandados são a minha maior vitória. Obrigado", postou o coronel, que teve mais de cem comentários e 200 curtidas.

As acusações da tropa também se voltam para o governo do estado e para a Secretaria de Segurança. O ex-comandante da PM, o coronel Ubiratan Ângelo, também se solidarizou com coronel Costa Filho e lembrou em sua postagem que há algo de errado com um governo que já teve três chefes de Polícia Civil e cinco comandantes da PM.

“Os Chefes de Polícia Civil e os que exercem o Comando-geral da PM são escolhas do governador e, quem sabe, do secretário de Segurança; o secretário de Segurança é uma escolha do governador; o governador é uma escolha do povo, que continua e sempre continuará! Precisamos rever as escolhas! O povo não pode mais ser enganado com a escolha de mais um bode expiatório”, escreveu o coronel Ubiratã Ângelo em sua postagem na página do Facebook do coronel Costa Filho.

Na manhã desta terça-feira, o governador Sérgio Cabral comentou, em nota, a exoneração do comandante da Polícia Militar, coronel Erir da Costa Filho. “Quero agradecer toda a dedicação, lealdade e seriedade do coronel Erir da Costa Filho à causa pública e ao serviço da segurança pública em nosso estado. Costa Filho é um exemplo de oficial”, afirmou Cabra.

A nota do governador reforçou o posicionamento de que “a troca de comando da PM não mudará em nada a política de pacificação no estado do Rio”.

O coronel Erir Ribeiro Costa Filho, foi exonerado do cargo, na tarde desta segunda-feira, pelo secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, após reunião na Secretaria de Segurança.