ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 21 de março de 2014

FAMÍLIAS DE POLICIAIS RECÉM-FORMADOS COM MEDO DOS ATAQUES

G1 - 14/03/2014 13h44

Famílias de policiais recém-formados no Rio estão com medo dos ataques. "A gente fica apreensiva para saber se ele está vivo", disse irmã de agente. Cerimônia de formatura dos 493 PMs foi no CFAP.

Mariucha Machado Do G1 Rio



Formatura de policais do Centro de Formação de Aperfeiçoamento de Praças (Foto: Mariucha Machado/G1)



A Policia Militar do Rio ganha a partir desta sexta-feira (14) um reforço de 493 novos agentes; destes 453 são homens e 40 mulheres. Após os últimos episódios envolvendo policiais até em áreas pacificadas, como a morte do tenente Leidson Acácio Alves Silva, de 27 anos, na quinta-feira (13), deixam os familiares e amigos preocupados.

Mayara Gomes é mulher do policial Denis Gomes. Eles têm dois filho, ambos estavam vestidos de PM durante a cerimônia de formatura na Centro de Formação de Aperfeiçoamento de Praça (CFAP). O momento que deveria ser de alegria virou um terror para as famílias.

"Eu estou com depressão, estou de licença com medo de tudo. Eu tenho medo do meu filho e dos meus netos morreram. Coração de mãe de policia êh apertado", disse a mãe de Denis Gomes, Valeria Médice.

"Eu tenho muito medo. Eu falo pra ele fazer serviço para ficar no quartel, dirigir carro, qualquer coisa. Sempre foi o sonho dele ser PM, mas depois destas coisas que aconteceram até ele está com medo, mas ele se manteve por causa da estabilidade para poder criar os filhos. É muito difícil arrumar um emprego aqui fora. Ver os colegas morrendo não é fácil", afirmou a esposa Mayara Gomes.

A estudante Ticiany Gomes é irmã do policial recém formado Ricardo Ottoni. Ela contou que diariamente fica preocupada com o irmão.

"A gente fica apreensiva o dia inteiro para saber se ele está bem, se ele está vivo, mas a gente tem que apoiar", contou Ticiany Gomes.

A cerimônia de formatura foi realizada na manhã desta sexta-feira no Centro de Formação e Aperfeiçoamento (CFAP), em Sulacap. José Mariano Beltrame, Frederico Caldas e Luis Castro.
tópicos: