ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

PM É ASSASSINADO EM BICO PARA COORDENADOR DO AFROREGGAE

EXTRA 14/02/14 10:44


Preso suspeito de assassinar PM que fazia segurança de coordenador do AfroReggae


Aníbal chega à delegacia Foto: Cíntia Cruz / Extra


Policiais da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) prenderam, na manhã desta sexta-feira, um suspeito de ter matado o cabo do Batalhão de Operações Especiais Sidnei Dias Simão. O PM fazia a segurança do coordenador do grupo AfroReggae, José Júnior. Aníbal João Valente Júnior foi preso quando estava escondido num hotel na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Contra ele havia um mandado de prisão temporária por homicídio. De acordo com o delegado Pedro Medina, titular da DHBF, outros dois envolvidos no crime já foram identificados e estão sendo procurados.

O crime aconteceu no dia 2 deste mês, um domingo. O cabo tentava impedir a fuga de um motorista após um acidente no Centro de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, que deixou um idoso ferido. Alertado pelos pedestres que o motorista de 19 anos estava escapando, Sidnei correu atrás do rapaz até um posto. Ali, o segurança, um policial que estava de folga, disparou vários tiros em sua direção.

O cabo ainda teria avisado que era da polícia, mas mesmo assim o segurança atirou. Sidnei chegou a ser levado para o Hospital da Posse, mas não resistiu aos ferimentos. A correria no local onde aconteceu o crime foi filmada.

A mensagem de José Júnior Foto: Reprodução do Instagram


José Júnior comentou a prisão em seu perfil no Instagram: “É com o maior orgulho do mundo q venho comunicar q o assassino do Simão acabou de ser preso - Anibal João Valente Jr - Binha. Graças a Deus e ao empenho do Delegacia de Homicidios da Baixada Fluminense da Policia Civil. Q o nosso irmão descanse em paz”.


09/02/14 19:46

Segurança de José Junior, do AfroReggae, é morto na Baixada


O cabo Simão Foto: Reprodução

Extra


Um dos seguranças do coordenador do Grupo AfroReggae, José Junior, foi morto neste domingo, na Baixada Fluminense. Sidnei Dias Simão, de 34 anos, era policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

Segundo informações de José Junior, ele teria sido confundido e foi alvejado dentro de um posto de gasolina, no Centro de Nova Iguaçu. Sidnei teria tentado impedir um assalto e acabou sendo atingido por seguranças do posto. Sidnei chegou a ser levado para o Hospital da Posse, mas não resistiu aos ferimentos.

O policial, que tem um filho, estava há nove anos na corporação. Destes, quatro foram de serviço ao Bope.

Em seu perfil no Facebook, o coordenador do AfroReggae lamentou o ocorrido.

“Um dos policiais q cuidam da minha segurança no seu dia de folga foi confundido como bandido e tomou vários tiros de um segurança de um posto de gasolina. Tristeza Gigantesca ! Hojj esses policiais são como integrantes do AfroReggae e da minha própria família.”

José Junior lamenta morte de seu segurança


Em nota, a Polícia Civil informou que o caso foi registrado na 52ª DP (Nova Iguaçu) que instaurou um inquérito e ouviu algumas testemunhas. Imagens das câmeras de segurança do local foram solicitadas. O caso foi repassado e está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense.

O Bope também lamentou a morte do PM através de uma nota. Confira:

"É com pesar que informamos o falecimento do Cabo Sidnei Dias Simão, 34 anos, ocorrida na manhã desse domingo, 09/02, após ter sido baleado no Centro de Nova Iguaçu. Ele foi socorrido ao Hospital da Posse, mas não resistiu aos ferimentos. A Delegacia de Homicídios da Baixada investiga o caso. O policial tinha 9 anos de serviço na Polícia Militar, sendo 4 deles no BOPE. Ele deixa um filho. Informações sobre o local e horário do enterro serão divulgadas em breve."


COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Como uma sociedade vai garantir a paz, a segurança pública e a justiça criminal com policiais envolvidos em jornadas estressantes e perigosas em ambientes com armas de guerra e poder financeiro corruptor, sem poder conviver com a famílias os momentos de folga e lazer, necessários à sua saúde mental, boas condições técnicas e acertadas decisões de inopino?

A saúde emocional, psíquica, física e financeira dos policiais brasileiros deveria ser prioridade na atenção dos poderes governantes e da sociedade, já que são estes homens e mulheres que fazem a primeira linha de defesa contra o crime e contra a violência na garantia de direitos.