ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

REINTEGRAÇÃO DE POSSE - POLÍCIA E POSSEIROS SE ENFRENTAM




Moradores e polícia voltam a se enfrentar em área reintegrada - JEAN-PHILIP STRUCK, ENVIADO ESPECIAL A SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - FOLHA.COM, 23/01/2012 - 09h56

A Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal de São José dos Campos (97 km de São Paulo) voltaram a entrar em confronto com moradores da favela do Pinheirinho na manhã desta segunda-feira. As famílias foram retiradas da área ontem (22) durante reintegração de posse.

Moradores voltaram a fazer manifestação próximo ao comando de operações, localizado a uma quadra do terreno invadido, e PMs dispararam bombas de efeito moral contra uma aglomeração. Dezenas de policiais fazem a guarda do prédio.

A poucos metros, moradores que aguardavam a sua vez para voltar a área da invasão e retirar os pertences de suas casas entraram em choque com a Guarda Civil Municipal, que organiza a entrada de pessoas num centro de triagem. Cerca de 200 pessoas aguardavam numa fila.

O grupo, revoltado com a falta de organização da fila --que é feita sem supervisão e sem ordem de preferência para idosos e deficientes-- tentou forçar a entrada no centro por uma cerca lateral. Homens da guarda correram ao local e dispararam tiros de borracha. A fila se dispersou, mas minutos depois voltou a se formar.

O clima é tenso em frente ao centro de triagem. Boatos de que os pertences estão sendo retirados pela prefeitura sem a participação dos moradores são repetidos, o que provoca reações coléricas dos moradores, que passaram a gritar ofensas contra os policiais.

Moradores ouvidos pela Folha se queixaram da falta de organização e afirmam que faltam informações sobre os procedimentos. Muitos também temem pelos pertences e animais que foram deixados para trás durante o cumprimento da ordem de reintegração de posse.

O funileiro José Valdene, 48, afirma que não pode trabalhar enquanto aguarda sua vez na fila. Ele morava no Pinheirinho havia cinco anos, com a mulher e três filhos. "Não explicam nada. Podem estar saqueando nossas casas. Não sabemos de nada", diz.

DETENÇÕES

A Polícia Militar deteve 14 pessoas durante a madrugada desta segunda-feira na região da favela do Pinheirinho. Com isso, chegou a 30 o número de detidos desde o início da reintegração de posse, na manhã de ontem.

Dentre as pessoas que foram detidas na madrugada, dez tinham invadido uma casa e tomado como refém um casal de idosos. Os outros quatro estavam em um veículo roubado que foi parado pela polícia. Ainda segundo a PM, dois dos homens que invadiram a casa eram procurados pela Justiça e foram presos.

Do total, ao menos, cinco pessoas permanecem presas.

Durante a madrugada, mais um veículo foi queimado na região próxima ao Pinheirinho. Ontem, a PM já havia registrado outros oito veículos queimados, inclusive um carro de reportagem da TV Vanguarda, afiliada da TV Globo.

Outros incêndios criminosos atingiram ainda, ao menos, uma creche e uma padaraia da região. De acordo com a polícia, pessoas atiraram de dentro de um carro um coquetel molotov dentro da creche, que acabou sendo totalmente incendiada.

Um outro coquetel molotov foi usado por pessoas que incendiaram a padaria de um vereador conhecido como Robertinho da Padaria. Não há informação de feridos.