ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

domingo, 20 de março de 2011

UM SOLDADO DE 144 OLHOS


Americanos têm capacete que permite enxergar em todas as direções - Por Luciana Sgarbi - Revista Isto É, 03/05/2006

Um supersoldado capaz de enxergar e derrotar até os inimigos que tentem atacá-lo pelas costas. Isso já não é somente ficção. É real. O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, quer que o Congresso americano libere US$ 15 bilhões para os principais institutos científicos de pesquisa desenvolverem parafernálias tecnológicas que transformem um soldado de carne e osso numa máquina futurista de guerra e pretende ser apresentado a esse novo guerreiro até o final de seu mandato em 2008. A coisa vai de vento em popa.

Soldado usa capacete com sensores que captam movimentos e calor emitido pelo corpo dos inimigos. Mesmo se eles atacarem pelas costas, serão identificados

Cientistas da Universidade da Flórida desenvolveram um equipamento que dá aos soldados uma visão de 360 graus. Para romper a limitação dos olhos humanos, que só visualizam objetos num campo de 180 graus, eles criaram um capacete com 144 sensores extremamente sensíveis que captam emissões térmicas e movimentos.

Por menos que seja, qualquer ser vivo emana calor e não é diferente com um inimigo que se aproxima de seu alvo. Assim, através desses sensores térmicos, nada passaria despercebido pelo capacete.

Quanto aos movimentos de um eventual inimigo que se aproxime pela retaguarda, o processo tecnológico de reconhecimento é tão rápido como a transmissão natural entre as células nervosas do cérebro. Os sensores do capacete captam os sinais de movimentos.

Esses sinais, através de um fio que compõe o capacete e está acoplado à língua do soldado, viajam até alguns terminais nervosos da língua que se comunicam natural e diretamente com regiões do córtex cerebral capazes de traduzir para os olhos contornos de imagens que eles não conseguem normalmente enxergar (porque saem de seu raio de 180 graus).

O soldado, ao perceber então esses contornos que estão atrás dele, pode saber se é o vulto de uma pessoa, eventualmente um inimigo, se estiver numa guerra. É o homem enxergando em 360 graus sem sequer mover a cabeça, diz o neurocientista Anil Raj, responsável pelo projeto.

Para evitar que um colega de pelotão seja confundido com um inimigo, serão implantados chips nos uniformes americanos. Esses chips trocam informações entre si.

Quando houver troca, é soldado americano perto de soldado americano. Quando não houver, é soldado americano próximo a alguém que, não importa quem, Bush definiria como alienígena.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Uma tecnologia desta faz muita falta aos policiais brasileiros. Assistindo e vendo as fotos dos policiais sem capacete de proteção em operação nas favelas e nas ruas contra bandidos bem equipados com visor noturno, fuzil de ultima geração e granadas, nos dá uma sensação mista de insegurança e bravura.