ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

TERRAS TANGUEIRAS

WANDERLEY SOARES, O SUL, Porto Alegre, Quinta-feira, 31 de Maio de 2012.


Eu, que não danço tango, começo a me convencer de que esses argentinos são invencíveis.
Recebi em minha torre, outro dia, um amigo de muitas letras que gastou uma grana preta para visitar Tóquio. Lá ficou durante três dias e, na longa conversa que com ele tive, constatei apenas que em lugar nenhum do planeta se pode ver tantos japoneses como no Japão. Assim é que não me surpreende que um grupo de gaúchos membros do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), tendo realizado uma visita de três dias à Argentina, nosso vizinho e querido país irmão, tenham de lá trazido lições argentinas contra o crime e, especialmente, no sentido de controlar a proliferação de desmanches de carros furtados ou roubados. Repetidamente tenho dito, ao longo dos anos, que temos no complexo da segurança pública do Estado - Brigada Militar, Polícia Civil, Susepe, IGP - profissionais com cacife para dar aulas em qualquer parte do País. No entanto, após esta passagem de três dias de profissionais do Detran pelas terras tangueiras, começo a me convencer de que os argentinos são invencíveis.

Brigada contra o tráfico

O mais novo integrante no combate ao tráfico de drogas na Zona Leste de Porto Alegre, o 19 BPM, está completando 14 anos e, nos últimos 12 meses, foram aproximadamente 13 quilos de cocaína, seis quilos de crack e 91 quilos de maconha apreendidos pelos integrantes das "Tropas do Leste". Com a utilização do cão de faro, pastor Alinois, doado pela Aeronáutica, esta unidade da Brigada Militar pretende realizar buscas e apreensões mais rápidas, acelerando os resultados operacionais. Amanhã, o 19 BPM, em sua sede, na Avenida Aparício Borges 2505, ao lado da Corag, promoverá um café da manhã para a imprensa e convidados. Na ocasião, dentro da comemorações do aniversário da unidade, haverá a entrega da "Comenda do 19 BPM - Tropas Leste" em três categorias de segmentos da sociedade. Este humilde marquês estará presente.

Drible

Agentes do Denarc driblaram olheiros de traficantes que atuam no interior do Condomínio Princesa Isabel, bairro Azenha, na Capital. A ação ocorreu no início da noite dessa terça-feira. Foram presos dois homens, com 18 e 45 anos de idade, respectivamente, ambos com antecedentes no tráfico. Foram apreendidas 39 buchas de cocaína, quatro pedras de crack e 15 tijolinhos de maconha. Segundo o delegado Marcus Viafore, o local é de difícil acesso, não tem como passar pela entrada dos prédios sem ser notado. Os olheiros avisam imediatamente a chegada da polícia e, assim, conseguem desaparecer com as drogas no momento da abordagem. Conforme a polícia, a cocaína apreendida é conhecida como "veneno". Ela é forte e vendida pela metade do preço.

Assalto

Um homem foi baleado ontem ao ser atacado por bandidos nas proximidades do Viaduto dos Açorianos, bairro Cidade Baixa, bem perto do Centro Histórico da Capital. De acordo com policiais do 9 BPM, a vítima teria sido atingida por disparos de arma calibre 45 e foi encaminhada ao HPS.

Correria pelos cargos

A análise externa dos bastidores políticos dão conta da desenfreada correria que ocorre para a filiação nos partidos que compõem o atual governo da transversalidade gaúcha, incluindo nesta azáfama aqueles que mudam de partido a cada governo a fim de se assegurar em algum cargo ou projetar promoções por merecimento.