ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

A SAÚDE DOS TRAFICANTES


WANDERLEY SOARES, Sexta-feira, 25 de Maio de 2012

O clamor público é contra a insegurança nas ruas.


Lançada, no início deste mês, pela pasta da Segurança Pública gaúcha, com perfil midiático, a força-tarefa constituída de 200 PMs procedentes do interior do Estado com o objetivo de conter a violência e a criminalidade, principalmente os casos de homicídio, na Zona Norte da Capital e em onze municípios da Grande Porto Alegre, ao que parece, ainda está em fase treinamento. Não houve ainda uma operação que possa ser considerada de vulto. De outra banda, há um fenômeno real e quase nunca abordado pela mídia sobre o real impacto na sociedade sobre as execuções praticadas entre bandos de traficantes. Certo ou errado, o cidadão de bem festeja cada grupo de bandidos que é justiçado na guerra pelos pontos-de-venda de drogas. O clamor público é contra a insegurança nas ruas, no transporte coletivo, nos restaurantes, nas escolas e mesmo nas residências. Não há na sociedade, isso pode ser verificado com a mais simples das enquetes, nenhuma preocupação com a segurança ou o Estado com a saúde de traficantes. Sigam-me.

Estratégia

Um fato curioso que está acontecendo com o planejamento do policiamento ostensivo da Capital está sendo mantido, por ora, em sigilo. Por motivos certamente da maior gravidade, 30 PMs - além de dois oficiais - foram deslocados do CPC (Comando de Policiamento da Capital) para outros setores de atividade. Isto significa que a força-tarefa que deveria reforçar o policiamento existente, já perdeu 30 PMs além dos dois oficiais. Uma estratégia difícil de ser entendida.

Marginalizados

Apesar de todas as promessas governamentais, os membros do CVMI (Corpo de Voluntários Inativos) da Brigada Militar continuam sem aumento salarial não existindo previsão sobre se isso possa vir a correr. Por ora, são trabalhadores da Segurança Pública marginalizados pela burocracia da pasta.

Família brigadiana

Quarta-feira, dia 23, o professor Romeu Karnikowski, o tenente-coronel Ricardi Guimarães, presidente Associação dos Oficiais, o tenente Aparício Santellano, presidente da Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes, e o sargento Leonel Lucas, presidente da Associação dos Cabos e Soldados, foram nomeados sócios honorários do Grupo União, segmento social e político basilar na Brigada Militar. O União existe desde março de 2003 e constitui o grupo que forma a diretoria e os conselhos da IBCM (Instituição Beneficente Coronel Massot), com 84 anos de existência e com mais de 23 mil associados, voltada a atender a saúde da família brigadiana e servidores estaduais atrelados ao IPE.

Crack

Um homem foi flagrado, ontem, com 29 quilos de crack na BR-116, em Canoas. Ele dirigia um Honda Civic com placa de Foz do Iguaçu. A droga era procedente do Paraguai.

Mediação de conflitos

O Encontro do Grupo de Estudos de Mediação de Conflitos, do Iargs (Instituto dos Advogados do RS), será realizado no próximo dia 30 a partir das 13h, na sede da entidade, na travessa Adilino de Carvalho, 21. Uma palestra gratuita e aberta ao público, proferida por Maria Izabel Schneider Severo, abordará o tema Mediação de Conflitos na Prática: Reflexão Sobre o Papel do Mediador. Maiores informações pelo telefone (51)3224.5788, e-mail iargs@iargs.com.br.