ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 5 de maio de 2012

PMs ENVOLVIDOS EM INCÊNDIOS E AMEAÇAS À TARSO SÃO DENÚNCIADOS PELO MP

Incêndios criminosos. MP denuncia quatro policiais por envolvimento em protestos e ameaças a Tarso. Dois deles seriam responsáveis por vídeo no qual aparecem encapuzados e fardados - ZERO HORA, 04/05/2012 | 19h07

Quatro policiais militares envolvidos em dois incêndios criminosos em Alvorada e na elaboração de um vídeo com ameaças ao governador do Estado, Tarso Genro, foram denunciados pelo Ministério Público nesta sexta-feira. Se condenados, eles poderão pegar até nove anos de prisão — os que ainda estão na ativa podem ser excluídos dos quadros da Brigada Militar.

Segundo o Ministério Público, os fatos relatados na denúncia dizem respeito à queima criminosa de pneus em Alvorada nos dias 26 de agosto e 5 de setembro de 2011, supostamente como forma de protesto por aumentos salariais para a Brigada Militar.

Os PMs denunciados são Marcelo Machado Maier, Fernando de Souza e Silva, Renata Molina Tavares e João Carlos de Souza, este último já aposentado. Marcelo e Fernando participaram, de acordo com a denúncia, da confecção de um vídeo, no qual aparecem encapuzados e fardados, fazendo ameaças ao governador.

Atualmente, os dois estão presos temporariamente, suspeitos de participar em outro caso, uma chacina ocorrida em Alvorada no ano passado. A policial Renata Tavares teria participado da divulgação do material.

De acordo com a promotora Raquel Isotton, as investigações incluíram interceptações telefônicas, busca e apreensão de documentos e realização de uma perícia criminal inédita no vídeo, que permitiu o cruzamento de dados como voz e postura dos participantes, facilitando a identificação dos policiais.

O subprocurador Institucional, Marcelo Dornelles, ressaltou, ainda, que com a denúncia oferecida pelo MP nesta tarde estão encerradas as investigações, inclusive de fatos semelhantes em outros municípios.

— Nesses outros locais os protestos ficaram em nível de manifestações ou não foi possível identificar os autores — disse.