ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 30 de julho de 2013

PM NINJA


ZERO HORA, 27 de julho de 2013 | N° 17504

HIT NO YOUTUBE. “PM ninja” chama a atenção na internet

Registrada em vídeo, a ação de um policial militar de Barros Cassal, no Vale do Rio Pardo, está repercutindo na internet. Nas imagens, o soldado Juarez Padilha, 42 anos, faz movimentos parecidos com um ninja usando um cassetete para enfrentar um homem, que supostamente perturbava frequentadores de um bar, e ameaçava o policial com um cinto.

Agravação foi feita por moradores no final de junho e parou no YouTube, com mais de 12 mil visualizações até a tarde de ontem. Divulgado também no Facebook, com o título de “PM ninja”, em menos de um dia o vídeo foi compartilhado por mais de 5,5 mil pessoas. Segundo o sargento Jeferson Possamai, superior de Padilha, que está de férias, o homem imobilizado estava incomodando frequentadores, e o dono do bar chamou a polícia para retirá-lo. O PM foi ao local com outro colega e imobilizou o homem em cerca de 15 segundos.

– É uma técnica que aprendemos na corporação, mas pouco utilizada na prática. A ação repercutiu bem dentro da corporação – disse Possamai.

Imobilizado e algemado, o homem foi levado à Polícia Civil, onde foi registrada ocorrência. De acordo com o especialista em segurança estratégica Gustavo Caleffi, não houve excesso de força pelos policiais. Ele até elogia a forma como a ação foi conduzida:

– É muito difícil de ver uma ação dessas, tão bem executada, no Interior. Quando o policial chega, a pessoa já está portando uma espécie de arma branca, e o policial usou o mesmo recurso, do mesmo nível, que é o bastão militar. Ele demonstra técnica e agilidade na imobilização.