ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

PM MORRE AO TROCAR TIROS COM OUTRO PM


Policial militar morre ao trocar tiros com outro PM em Belford Roxo. Homem que matou colega de farda ficou gravemente ferido. Caso ocorreu num bar na noite de sábado

O GLOBO
Atualizado:1/07/13 - 9h09



RIO - Um policial da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho matou um PM do Batalhão de Choque numa troca de tiros entre os dois na noite de sábado, no bar Pensão da Bia, na Rua Itanhangá, no bairro Vasco, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Os dois estavam de folga. Segundo policiais da 54ª DP (Belford Roxo), Eduardo Ferreira Félix, de 31 anos, entrou no estabelecimento com mais duas pessoas, armado, para tomar cerveja. Dez minutos depois, foi abordado por Celso Chaves Silva, de 35 anos, que também estava com uma arma. Celso teria gritado para Eduardo: “Perdeu, perdeu, levanta a camisa!”. Em seguida, houve troca de tiros entre os dois policiais.

Armas vão ser periciadas

Celso morreu no local e foi enterrado, neste domingo, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap. Eduardo ficou ferido, com uma bala no abdome, e foi levado para a UPA do Lote XV. Depois, o PM foi encaminhado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, onde está internado no CTI, em estado grave.

— Meu filho saiu de casa com o tio e um colega para levar o carro num lava-jato. Enquanto esperavam, pararam para tomar cerveja num bar, e foi aí que aconteceu tudo. Ele está em coma, não conseguimos falar com ele — disse o pai de Eduardo, Carlos Alberto Félix, de 52 anos.

Policiais do 39º BPM (Belford Roxo) apreenderam um revólver 38 e uma pistola 380, com carregador, no local do crime. As armas já foram encaminhadas para perícia.

A 54ª DP (Belford Roxo) informou que instaurou um inquérito para investigar o caso. Ao longo desta semana, os policiais vão ouvir testemunhas e funcionários do bar. A cena do crime já foi periciada. Segundo a polícia, após o tiroteio, Eduardo pediu a uma atendente do bar que chamasse uma ambulância e a PM. Celso foi encontrado morto na frente do estabelecimento.

Além dos dois policiais, também ficou ferido Gabriel Fernandes de Miranda, de 35 anos, que tomava cerveja com Eduardo. Ele foi encaminhado para a UPA do Lote Quinze, sendo liberado em seguida.