ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

BANDIDOS SE VESTE DE BRIGADIANO

ZERO HORA 22 de julho de 2013 | N° 17499

23º ROUBO NO ANO. Vestido de brigadiano, assaltante ataca posto


Pela 23ª vez neste ano, o posto de combustíveis do número 5.300 da Avenida Bento Gonçalves, no bairro Intercap, em Porto Alegre, foi assaltado. Ontem, o ladrão foi ainda mais ousado: usando coturnos, luvas, colete à prova de balas, coldre com revólver na cintura, vestia uniforme igual ao da Brigada Militar.

Segundo o funcionário José Oliveira, o bandido abasteceu a moto e ficou estacionado no posto, mexendo no celular, por cerca de 10 minutos. Ele usava capacete e não o tirou da cabeça. Quando percebeu a chegada do gerente, sacou o revólver e anunciou o assalto.

– Ele parecia saber a hora que o gerente chegaria e o local por onde somente ele entra. Imediatamente, apontou a arma para o gerente e o levou para dentro da loja – contou.

Os dois ficaram no escritório por cinco minutos. O bandido desferiu duas coronhadas na cabeça do gerente, forçando-o a abrir os cofres.

Enquanto isso, discretamente, no segundo andar, o atendente da loja de conveniências do térreo pediu a ajuda de um policial militar que chegava ao estabelecimento.

– Avisei que estava ocorrendo um assalto. Ele mandou eu chamar a Brigada e se posicionou na porta, com a arma engatilhada. Dois minutos depois, o bandido saiu com o capacete na cabeça, e os dois apenas se cumprimentaram fazendo um joinha (sinal de positivo). Não entendi nada – disse o funcionário.

Bandido foge levando mais de R$ 20 mil em dinheiro

O funcionário ferido foi encaminhado ao HPS para atendimento. O assaltante fugiu na moto, levando mais de R$ 20 mil em dinheiro. O veículo, identificado como roubado, foi localizado a uma quadra do posto, na Rua Marcone.

Segundo o funcionário do posto, o PM que não reagiu alegou que estava transportando um preso em um veículo estacionado ao lado do posto e só havia parado para comprar cigarros. Ele esperou a viatura da BM chegar, repassou a placa da moto do bandido e seguiu viagem.

O Diário Gaúcho procurou o comando do 19º BPM para confirmar se o homem que chegou na caminhonete era policial. A tenente-coronel Nádia Gerhard afirmou que somente na manhã de hoje terá acesso ao relatório feito pelos PMs que atenderam a ocorrência.

ALINE CUSTÓDIO