ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 23 de julho de 2013

PM NÃO IMPEDE FUGA DE BANDIDO VESTIDO DE PM

ZERO HORA 23 de julho de 2013 | N° 17500

ROUBO NA CAPITAL. Investigada ação de PM em assalto a posto



Enquanto a Polícia Civil apura o assalto ao posto de combustíveis no qual um ladrão, com roupas da Brigada Militar, escapou na frente de um PM que estava no local, no domingo, no bairro Intercap, na Capital, a BM investiga a conduta do brigadiano. Depois de agredir um funcionário, o criminoso fugiu com cerca de R$ 20 mil – e sem ser importunado pelo policial, que a tudo assistiu e nada fez.

O crime ocorreu por volta das 7h20min. Um homem de moto, com roupas da Brigada, rendeu o gerente e o levou para o andar de cima. Depois de agredi-lo, o obrigou a abrir o cofre.

No mesmo instante, um PM fardado chegou ao posto em uma caminhonete e foi à loja de conveniências comprar cigarros. Um funcionário avisou que o gerente estava rendido por um assaltante. O PM sacou sua arma e foi até a porta. Quando o ladrão desceu, o policial deixou-o passar. Aos funcionários, teria dito que não reagiu porque transportava um preso no carro.

Minutos depois, uma guarnição da BM chegou. O PM, conforme os frentistas, passou aos colegas parte dos números da placa da moto do bandido e reiterou que não poderia ficar para ajudar porque transportava um preso. Foi embora em seguida. Em rondas pela região, os PMs localizaram em seguida a moto, que estava com queixa de roubo.

Conforme o chefe da Comunicação Social da BM, major Leandro Balen, o PM está identificado e foi aberto inquérito policial-militar. Em princípio, até que o caso seja elucidado, o policial fará serviços internos. A Brigada ainda não sabe se ele tinha ligações com o ladrão e, também, se o bandido fardado tinha ligações com a Brigada.

– A história é bem estranha. Estamos investigando – disse o titular da 15ª Delegacia da Polícia Civil, delegado Ajaribe da Rocha Pinto.