ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

domingo, 9 de dezembro de 2012

PM ATEIA FOGO EM MOTOQUEIRO

O Estado de S.Paulo, 09 de dezembro de 2012

PM é preso após atear fogo a motoqueiro

Um policial militar de 33 anos foi preso ontem em flagrante após atear fogo a um motociclista que estava sem gasolina, durante uma abordagem na madrugada em Americanópolis, zona sul de São Paulo. Ele teve queimaduras em 40% do corpo.

Segundo testemunhas, a vítima aguardava ajuda de um casal que havia se oferecido para buscar combustível quando foi agredida. O PM pegou a gasolina e jogou no motociclista e no amigo dele, que estava na garupa. Em seguida, acendeu um cigarro. Um dos rapazes conseguiu fugir. As chamas também atingiram o policial, que acabou ferido nos braços.

Segundo a PM, a voz de prisão foi dada imediatamente pelos demais policiais que participaram da ação. Colegas disseram "não compactuar com a atitude do acusado". Em nota, a PM disse que a corregedoria "apura com rigor desvios de conduta e crimes eventualmente cometidos por seus integrantes". O agressor, que está há dois anos na polícia, foi para o Presídio Romão Gomes e deve ser indiciado por tortura e tentativa de homicídio.