ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

INVESTIGADOR É MORTO E OUTRO AGREDIDO DURANTE INVESTIGAÇÃO

 CORREIO DO ESTADO, 29/01/2014 08h00 

Investigador é morto e outro agredido durante investigação de furto de joias

VÂNYA SANTOS


Foto: Divulgação / Facebook
O investigador Dirceu foi baleado na cabeça e não resistiu



Um investigador da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (Derf) foi morto a tiros e outro teria sido espancado na noite de terça-feira (28). O fato ocorreu no Bairro Jardim Bálsamo, em Campo Grande.

Informações iniciais dão conta de que os policiais Dirceu Rodrigues dos Santos e Osmar investigavam um furto de joias. Eles conseguiram recuperar boa parte do material furtado, mas faltava uma corrente.

Os dois então foram até uma casa no Jardim Bálsamo, onde havia um travesti armado, acompanhado de comparsas. Um dos policiais teria sido reconhecido pela quadrilha.

Os investigadores entraram em luta corporal com os criminosos. O travesti atirou contra a cabeça de Dirceu, que não resistiu ao ferimento. Já o investigador Osmar foi agredido pela quadrilha.

Os autores fugiram na viatura descaraterizada da Polícia Civil. O veículo, no entanto, foi abandonado e recuperado momentos depois.

O crime mobilizou centenas de policiais civis e militares que passaram a madrugada atuando no caso. Cerca de 10 pessoas foram detidas e armas foram recuperadas.

O travesti, que não teve o nome divulgado, já esteve preso por tráfico de drogas, roubo e estava em liberdade condicional desde novembro do ano passado. Um irmão do travesti também estava no local do crime.

Colaborou Laura Holsback