ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

QUADRILHA DE CONTRABANDO ENVOLVE TRÊS OFICIAIS DA PM DO PARANÁ

CLIC RBS - CASO DE POLÍCIA - 25 de abril de 2013

PF desarticula rede de corrupção infiltrada em instituições públicas no Sul do Brasil


Cerca de 250 policiais cumpriram 40 mandados de prisão e de busca nos três estados doSul do Brasil. Até o momento, 22 presos, sendo três deles oficiais da PM paranaense. O objetivo é desarticular uma quadrilha de contrabandistas e de exploração de jogos de azar, inclusive com suspeita de corrupção policial e envolvimento de um assessor parlamentar. A base do grupo é no Paraná, mas ações ocorreram também em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Aqui, foram expedidos mandados para serem cumpridos em Porto Alegre e Canoas devido ao envolvimento com contrabando de cigarros, já que grande parte das mercadorias tinha como destino o estado. Ainda não há informações de detidos na Região Metropolitana.



Polícia Federal prende 22 integrantes de quadrilha de contrabandistas no Sul do Brasil / Foto: Divulgação PF

Operação Fractal

São 23 mandados de prisão preventiva, seis de prisão temporária e 29 de condução coercitiva. A investigação é da Polícia Federal do Paraná. A quadrilha usava um grupo de policiais militares que ficava em rotas de contrabando no noroeste do estado. Além de facilitar a passagem de mercadorias, os PMs extorquiam contrabandistas concorrentes. Odelegado José Alberto Iegas, coordenador da Operação, destaca que a quadrilha fazia pressão política para trocar PMs nos comandos de batalhões.

"Há suspeita, que estamos averiguando, de envolvimento também de dois servidores das Receitas Federal e Estadual e de um policial federal do Paraná", ressalta Iegas.

Assessor parlamentar

A quadrilha era liderada por um assessor de deputado estadual do Paraná e também por oficiais da PM. Parte dos valores e patrimônio obtidos pelos criminosos foi bloqueada na Justiça. O grupo também estava se infiltrando em setores das Polícias Civil, Federal, além da Militar, e nas Receitas Estadual e Federal, Ministério Público e Assembléia Legislativa. Tudo isso no Paraná. O principal alvo do esquema era o contrabando de cigarros.

Rio Grande do Sul

No estado, foram expedidos mandados para serem cumpridos em Porto Alegre, um de prisão e outro de busca e apreensão. Em Canoas, foram expedidos um mandado de busca e apreensão e outro de condução coercitiva. Neste caso, o suspeito abordado é conduzido até a Polícia Federal para depoimento. Ainda não há informação sobre prisões no estado. A maior parte do cigarro contrabandeado no Paraná tinha como destino o Rio Grande do Sul. Em Santa Catarina, o grupo lavava dinheiro ao adquirir residências e outros bens.

Os presos:

Paraná - Em Curitiba, 13 pessoas foram presas. Entre elas, 4 policiais militares e 1 assessor parlamentar. Em Foz do Iguaçu, foram 4 presos (1 policial civil). Na cidade de Maringá, foram 5 presos, dos quais 4 eram policiais militares. Foram apreendidos 13 veículos de luxo em Curitiba, além de computadores, joias e valores em dinheiro. Foram efetuadas 23 conduções coercitivas no Estado, das quais 16 em Curitiba (2 policiais militares), 4 em Maringá, 2 em Londrina e 1 em Foz do Iguaçu.

Santa Catarina - Em Laguna e em Joinville foram cumpridos mandados de condução coercitiva (1 em cada cidade

Rio Grande do Sul - Foram cumpridos 2 mandados de busca e apreensão (um em Porto Alegre e outro em Canoas) e 1 mandado de condução coercitiva em Canoas.

Flagrantes - Em Curitiba, foram apreendidas 4 armas de fogo e um silenciador, artigo proibido por lei. Também foi encontrada pequena porção de droga, além de medicamento de origem estrangeira. Em Foz do Iguaçu, uma arma foi apreendida.