ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 22 de junho de 2013

PM É BALEADO NAS COSTAS EM BH



PM baleado nas costas é transferido para Hospital Militar, em BH. Soldado foi baleado em protesto, e não corre risco de morrer. Cabo também foi atingida, mas recebeu alta.


Do G1 MG, 22/06/2013 11h32



Um soldado da Polícia Militar (PM), de 33 anos, baleado na manifestação em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi transferido para o Hospital Militar na madrugada deste sábado (22). Ele levou um tiro nas costas, mas não corre risco de morrer. Uma cabo, de 38, recebeu um disparo na perna, foi socorrida na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), em Justinópolis, foi atendida e ganhou alta médica. Outro sargento, de 29, levou uma pedrada no rosto, foi levado para a mesma UPA, e também recebeu alta, conforme informou a assessoria de imprensa da corporação.

Ainda nesta sexta-feira (21), a Câmara Municipal também foi depredada, de acordo com a PM. Ainda na mesma cidade, os protestos começaram pela manhã com a interdição da BR-040, na altura do km 513. O trecho foi fechado por manifestantes por mais de 12 horas, o que provocou um grande engarrafamento.

A população protestava contra as condições dos ônibus da empresa e o valor cobrado pela viagem até a capital mineira, que é de R$ 4,25. Um coletivo foi incendiado em uma marginal da rodovia. O congestionamento chegou a 20 quilômetros nos dois sentidos.
Ônibus é incendiado na BR-040, em Ribeirão das Neves, durante manifestação (Foto: Reprodução/TV Globo)

Ainda nesta sexta-feira (21), houve manifestação na Região do Barreiro, em Belo Horizonte, que, segundo a Polícia Militar, reuniu 10 mil pessoas. Os manifestantes caminharam pela Avenida Sinfrônio Brochado, passaram pela Via do Minério e foram até as obras do Hospital Metropolitano do Barreiro. Neste ponto, os manifestantes criticaram a demora na construção da unidade de saúde, que estava programada para ser inaugurada em julho de 2012. O ato foi pacífico e não houve registros de ocorrência.
Milhares se reúnem na Região do Barreiro, em Belo Horizonte (Foto: Reprodução/TV Globo)

Outro ponto de manifestação na capital mineira foi a Praça Sete, no Centro. Local principal de concentração dos protestos em Belo Horizonte, nesta sexta-feira a praça reuniu um grupo menor de pessoas, cerca de 1,5 mil, de acordo com a PM. Um pequeno grupo também fechou a BR-040 perto do Anel Rodoviário, no bairro Califórnia. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o trânsito ficou congestionado.

Em Contagem, cidade da Região Metropolitana, duas mil pessoas protestaram durante a noite. Já na BR-381 – altura do km 513 – em Igarapé, cerca de 440 manifestantes fecharam a rodovia na Região Metropolitana de Belo Horizonte, segundo a Polícia Rodoviária Federal. Às 23h20, a via foi liberada.

Sobre o transporte em Ribeirão das Neves
Segundo a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), a redução das tarifas em R$ 0,15 será feita a partir do dia 1º de julho, como dito nesta quinta-feira (20) pelo governador Antonio Anastasia. Além disso, de acordo com a Setop, está programada uma reunião com empresa Transimão para a próxima semana, com o objetivo de discutir a melhoria da qualidade da linha.

Por meio de nota, a Transimão Transportes informou que está em contato com integrantes da comunidade de Ribeirão das Neves e com órgãos reguladores para avaliação do quadro de horários vigente dos coletivos. Ela reafirmou que cumpre o que está estipulado e que conta com uma frota moderna, cuja média de idade é de cinco anos.

A empresa informou ainda que troca os ônibus após oito anos de uso, tempo inferior ao indicado pelos órgãos regulamentadores da Região Metropolitana, que varia entre dez e 15 anos. Com relação às tarifas, a Transimão falou que não é de competência da empresa definir os valores.