ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

TROTE: BRINCADEIRA SEM GRAÇA

JORNAL VALE DOS SINOS, 01/11/2012

Em São Leopoldo, 40% das ligações para a Brigada Militar são trotes. Na quarta, foi lançada campanha para coibir a ação no Município

Sara Souza



São Leopoldo - Passar trotes a números de emergência, como o 190 da Brigada Militar, pode até ser considerada uma brincadeira, mas sem graça e irresponsável. Provoca diretamente o desperdício de tempo e dinheiro da polícia. Pior, pode custar a vida de alguém que realmente esteja em perigo e necessitando dos serviços. Com o objetivo de minimizar estas chamadas, a Brigada Militar de São Leopoldo e a Associação Comercial, Industrial e de Serviços de São Leopoldo (Acis-SL) relançaram na manhã de ontem, no auditório da Acis do município, a campanha Ligar para o 190 não é Brinquedo.

“Em nosso trabalho, lidamos com um número alto de trotes diariamente. Ao atender essas ligações, a linha do 190 permanece ocupada e em alguns casos chegamos a deslocar uma viatura para atender a suposta ocorrência. Isso acarreta uma série de transtornos para a Brigada Militar’’, alerta o comandante do 25º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel José Nilo Correa.

De julho a setembro deste ano, das 55.450 mil ligações recebidas no 190 da Brigada Militar de São Leopoldo, 21.487 mil foram trotes. Ou seja, quase 40% neste período. Por mês, a média se repete, das quase 20 mil ligações, cerca de 40% são trotes (VER TABELA).

Somente no mês de agosto, das 18.521 mil ligações recebidas pela Brigada Militar pelo 190, 7.743 mil foram trotes, o equivalente a 41%. “Se alcançassemos entre 10% e 15%, seria um número bom, afinal, sabemos que não vamos zerar os trotes, mas podemos trabalhar com a conscientização e divulgação do quanto este ato prejudica a população e o trabalho da Brigada”, afirma o tenente-coronel Nilo.

Maior parte na saída das escolas

O comandante Nilo reforça que o incoveniente do trote é que acaba gerando a dúvida se a ligação é de fato uma ocorrência ou apenas uma brincadeira. De qualquer maneira, a Brigada Militar tem que deslocar uma guarnição até o local para verificar a situação. Segundo ele, a maioria dos trotes ocorre no horário de entrada e saída das escolas, tendo como autores crianças ou adolescentes. Porém, muitas vezes, são adultos que efetuam as ligações, inclusive, em alguns casos, induzem seus filhos a tais atitudes inadequadas. “Observamos que muitas dessas ligações acontecem no horário de saída das escolas, por isso consideramos importante direcionar a campanha também para a rede de ensino da cidade. O trote não é um crime tipificado. Estamos trabalhando e fazendo o levantamento de ações que poderiam contribuir para a identificação do menor que efetua o trote, para fazer um trabalho junto à família”, diz o comandante.

Números de emergência

190 - Brigada Militar

- Ao observar ocorrências criminais iminentes, em andamento ou havidas recentemente;

- Acidente de trânsito, em área urbana, com lesões corporais ou vítima fatal;

- Atitudes suspeitas por parte de pessoas estranhas;

- Informações sobre identificação e localização de deliquentes procurados ou foragidos do sistema carcerário

192 - Samu

- em casos de acidente em via pública ou outra situação (como incêndio) em que há vítimas

OBS: O coordenador Roberto Tyska alerta que é importante que as pessoas prestem o máximo de informações possíveis ao ligarem para o 192. “Que fiquem calmas, digam quantas vítimas envolvidas na situação e dêem um ponto de referência de onde é a ocorrência. Se for em rodovia, dizer qual foi a última placa de quilômetro que passou e o sentido da ocorrência’’, diz. “Além disso, se for parar o veículo para ajudar, que sinalize bem a estrada e cuide primeiro de si, para não se tornar uma nova vítima.’’

193 - Bombeiros

Ocorrências de incêndio, Socorro à vítimas de acidentes, riscos ao patrimônio e ao meio ambiente, resgates e emergências médicas, e salvamentos

153 - Guarda Civil Municipal

- principalmente nos casos de danos ao patrimônio público, como pichação; além de flagras de maus-tratos aos animais, acidente com danos materiais, assalto, denúncia sobre caça-níqueis

191 - Polícia Rodoviária Federal

- em caso de ocorrências nas rodovias federais (acidentes, infrações)

181 - Disque-Denúncia

- Para qualquer informação de interesse da segurança pública, como atuação de quadrilhas e gangues, abusos contra crianças, mulheres e idosos, desvios e omissão de servidores públicos, autoria de crimes, localização de foragidos, pontos de tráfico de drogas, porte ilegal de armas, maus-tratos e outros, proporcionando importante auxílio à atividade policial.

OBS: Em todas as ligações é garantido o sigilo e o anonimato do informante, que recebe uma senha secreta para complementar, acompanhar e cobrar, a qualquer tempo, a tramitação da denúncia junto aos órgãos responsáveis.

Campanha influencia o número de trotes

Em São Leopoldo, quando a campanha Ligar para o 190 não é Brinquedo foi lançada, o número de trotes caiu de 50% para 30%, conta o comandante Nilo. “Em 2009 permaneceu estável. Em 2010, como o material da campanha parou de ser veiculado, houve uma elevação e hoje estamos em 40%”, ressalta o comandante. A sanção da Lei 13 .759, de 15 de julho de 2011, de autoria do deputado Carlos Gomes (PRB) foi publicada no Diário Oficial do Estado em julho do ano passado e prevê que o custo das ligações indevidas ao 190 seja cobrado na fatura de pagamento da conta telefônica de aparelhos convencionais e também de celulares pós-pagos do infrator. Conforme o comandante Nilo, esta lei ainda não tem aplicação, pelo menos em São Leopoldo. “Mesmo tendo sido publicada no ano passado, não quer dizer que tenha aplicação imediata. É algo complexo e trabalhoso para identificar o infrator’’, argumenta.