ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

A PERÍCIA CRIMINAL NA TV

 
ZERO HORA 23 de outubro de 2012 | N° 17231

A ARTE DA PERÍCIA

O que não falta é cópia

Desde a primeira vez em que foi ao ar nos EUA, há 12 anos, CSI guarda poucos nomes originais do elenco, mas nem por isso a famosa série de investigação criminal perdeu o charme. Prova disso é que só aumenta o número de cópias e derivados do gênero na programação gringa e até na brasileira. Alta tecnologia aliada a intrincados mistérios policiais (prontamente resolvidos na rua ou nos laboratórios, entremeados por breves histórias de relações pessoais no ambiente de trabalho) compõem a fórmula que é hit absoluto.

Nas três séries que levam a grife de Anthony Zuiker (CSI Las Vegas, a original, e mais CSI: Nova York e Miami), o esquema é o mesmo: um caso insólito é apresentado nas cenas iniciais, segue-se a trilha de abertura com música da banda The Who e, nos minutos seguintes, a glamourizada equipe de peritos utiliza toda sorte de equipamentos para achar respostas para o crime.

Foi assim nos 274 episódios já exibidos até agora, incluindo a estreia da 13ª temporada, ontem, no Sony. Canal coirmão, o AXN é o mais especializado no gênero da investigação policial. Figuram na grade desde programas excelentes como Criminal Minds, que mostra com riqueza de detalhes uma equipe do FBI à cata de serial killers, a outros nem tão bacanas, feito NCIS, com repertório limitado.

No Brasil, as finadas séries Força-Tarefa (com Murilo Benício) e Na Forma da Lei (com Márcio Garcia) tentaram repetir, sem êxito, a fórmula do sucesso. Um dia a gente chega lá.

CAMILA SACCOMORI | Editora do caderno TV Show