ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

PM NÃO REPASSOU ALERTA DE ATAQUE A BANCO

ZERO HORA 23/01/2013 | 09h17

BM admite que errou após ataque a banco em Santa Cruz do Sul. Um inquérito foi aberto para apurar os motivos da falta de atendimento da ocorrência no prazo devido

A Brigada Militar confirmou que houve erro por parte da corporação no caso do ataque à agência do Itaú em Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo, na noite de domingo.

Segundo o comandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, major Ailton Pereira Azevedo, foi feito o comunicado à corporação pelo sistema de segurança do banco. O que não se sabe é se houve negligência por parte do policial de plantão que atendeu a ligação da central de São Paulo.

Um inquérito foi aberto para apurar os motivos da falta de atendimento da ocorrência no prazo devido.

Conforme a delegada Ana Luísa Aita Pippi, da 1ª Delegacia de Polícia do município, a empresa terceirizada responsável pelo monitoramento do banco afirma que seguiu o procedimento padrão e acionou a BM por telefone assim que o alarme disparou, por volta das 19h de domingo. Ainda segundo ela, a empresa forneceu o horário do aviso e o nome do policial que atendeu a ocorrência. No entanto, o furto foi registrado somente na manhã de segunda-feira, quando funcionários chegaram para trabalhar.

O prazo para conclusão da investigação é de 40 dias. No entanto, o comandante pediu que o processo seja concluído em até 30 dias. O resultado do inquérito será encaminhado para a Polícia Civil e para a corregedoria da BM.


ZERO HORA 24 de janeiro de 2013 | N° 17322
ATAQUE A BANCO. PMs são afastados em Santa Cruz

A Brigada Militar (BM) de Santa Cruz do Sul afastou de suas funções os dois policiais militares que estavam na sala de operações na noite do último domingo quando uma ligação telefônica avisou sobre um ataque ao banco Itaú. Uma investigação interna foi aberta na segunda-feira para verificar quem teria falhado e por que uma viatura não foi verificar a agência bancária. Conforme o comandante interino do 23º Batalhão de Polícia Militar (BPM), major Ailton Pereira Azevedo, o banco avisou a BM por telefone entre 19h e 19h15min. No entanto, nenhum policial foi averiguar a situação.