ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 11 de dezembro de 2010

A SERVIÇO DO JOGO - BM prende mais cinco PMs

A SERVIÇO DO JOGO - BM prende mais cinco PMs - ZERO HORA, 11/12/2010

Cinco PMS foram presos ontem por suposto envolvimento com o jogo ilegal na Capital. Seis mandados de prisão foram expedidos pela Justiça Militar, e um suspeito está foragido.

Um soldado já havia sido detido na quinta-feira pelo mesmo motivo. Em reportagem da RBS TV, ele revelou que cobra R$ 500 semanais para proteger donos de bingos. Os PMs suspeitos de envolvimento com a exploração de jogos de azar serão submetidos ao Conselho de Disciplina, que pode decidir pelo afastamento dos servidores de suas funções. A medida foi anunciada ontem à noite pelo comandante-geral da Brigada Militar (BM), coronel João Carlos Trindade, por meio do microblog Twitter.

A mensagem do comandante da BM foi forte. “Isso não pode prosperar. O que pode começar com um conluio entre policiais e contraventores, amanhã pode se transformar noutros delitos mais graves; a história nos ensina: começa com a promíscua relação, depois vêm as drogas, as armas, os homicídios (enfim uma máfia)...”, escreveu o coronel.

O receio do oficial é de que o crime saia do controle por meio da corrupção. O Conselho de Disciplina é constituído para tratar de casos graves, como o do envolvimento com o jogo ilegal. O objetivo é eliminar pela raiz a iniciativa dos infratores.

A nomeação dos integrantes do conselho deverá caber ao comandante do Policiamento da Capital, coronel Antero Batista. Integrarão o grupo um major e dois capitães. Também deverá ser constituído um Conselho de Justificação, que analisa o caso de oficiais envolvidos em delitos. Isso porque entre os PMs suspeitos de cobrar propina em troca de proteção a bingos clandestinos está um tenente.

Depois que os conselhos tomarem suas decisões, os PMs poderão recorrer ao Tribunal de Justiça Militar, segundo Trindade.