ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

PRESO GRUPO QUE ATACAVA BANCOS COM EXPLOSIVOS

ZERO HORA 08/08/2014 | 08h05

PF desarticula grupo que atacava bancos com explosivos. Investigações iniciaram em 2013, quando um grupo invadiu clube em Ipanema


Foram cumpridos nove mandados de prisão preventiva e 19 mandados de busca e apreensãoFoto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS


A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira a Operação Zona Sul, com o cumprimento de nove mandados de prisão preventiva e 19 mandados de busca e apreensão para desarticular grupo responsável por roubo e ataques a caixas eletrônicos de bancos de Porto Alegre com uso de maçarico e explosivos, principalmente na zona sul de Porto Alegre.

As investigações iniciaram em 30 de novembro de 2013, quando um grupo armado invadiu um clube no bairro Ipanema, rendeu os vigilantes e arrombou um terminal de autoatendimento da Caixa Econômica Federal com a utilização de um maçarico, levando, além do dinheiro, o automóvel de um desses funcionários.

Em janeiro deste ano, uma sequência de ataques com uso de explosivos na agência da Caixa da Avenida Campos Velho passou a ser objeto de investigação da Polícia Federal. Neste período, também ocorreu uma tentativa de furto a um terminal de autoatendimento de um banco em um posto de combustível na Avenida Cavalhada e outra tentativa de furto com o uso de explosivos num banco privado na Avenida Protásio Alves. Nesses casos, os criminosos não conseguiram levar o dinheiro, apenas danificando os equipamentos e as agências.

Inicialmente, informações repassadas pela Brigada Militar indicaram que os crimes ocorridos na Zona Sul de Porto Alegre foram praticados pelo mesmo grupo. Após a identificação dos suspeitos, policiais federais realizaram diligências para localizar o paradeiro dos criminosos. Em um dos levantamentos, foi identificado que as rodas do veículo roubado do vigilante em novembro de 2013 estavam no automóvel utilizado pela esposa de um dos líderes da organização.

Também é atribuído ao grupo o cometimento de uma série de outros crimes ocorridos no período da investigação, entre eles, dois homicídios consumados e uma tentativa (execuções), três tentativas de assaltos a banco, roubo a uma joalheria, roubo de veículos, tráfico de drogas, além de comércio ilegal de arma de fogo, munições, explosivos e ameaças a testemunhas.

Informações obtidas durante a investigação serão compartilhadas com as autoridades estaduais para elucidação de casos similares que possam ter sido praticados por integrantes do grupo.

*Informações da Polícia Federal