ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

domingo, 10 de agosto de 2014

AO FAZER A PROSPECÇÃO, PM E SEGURANÇA DO GOVERNADOR É EXECUTADO EM ASSALTO


R7 - 10/8/2014 às 07h51 

PM morto na zona oeste fazia parte da equipe de segurança do governador. Ele protegia a primeira-dama e fazia vistoria em área que seria visitada por Geraldo Alckmim



Do R7, com Estadão Conteúdo e Rede Record

Cabo César Alex de Azevedo, de 48 anos, trabalhava na equipe de segurança do governador Geraldo AlckminReprodução/Rede Record

O cabo da Polícia Militar César Alex de Azevedo, de 48 anos, morto em uma tentativa de assalto no sábado (9), trabalhava na Casa Militar, no Palácio dos Bandeirantes. Azevedo integrava a equipe de segurança de Lu Alckmin, primeira-dama do Estado de São Paulo, mas a pasta não confirma a informação. O PM estaria fazendo o reconhecimento do bairro para uma visita de Geraldo Alckmin, marcada para a próxima semana.

O crime aconteceu na manhã de sábado bairro Jaraguá, na zona oeste de São Paulo. De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, o PM estava à paisana em sua motocicleta BMW quando foi cercado por um trio de ladrões.

O criminosos tentaram levar a moto do policial, avaliada em R$ 40 mil. A Secretaria não soube informar se ele reagiu ao assalto. Os assaltantes fugiram levando a arma do policial, mas abandonaram a moto da vítima. O policial morreu a caminho do hospital.

A morte do policial da Casa Militar envolveu uma grande movimentação de viaturas das polícias Civil e Militar no bairro, inclusive com a participação direta do delegado Ismael Rodrigues, titular da 4ª Delegacia Seccional (Norte). Até as 20h de sábado, três pessoas haviam sido detidas.

Os suspeitos estavam com motos roubadas e diversos capacetes. Na Polícia Militar, a tarefa que Azevedo cumpria quando foi morto é conhecida como prospecção.