ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

OS ESTADOS ONDE A POLÍCIA BRASILEIRA TRABALHA MELHOR


 

Ação foi realizada em conjunto entre a Polícia Militar e a Polícia Civil (Foto: Diogo Almeida/G1-PB)

REVISTA EXAME 09/12/2013 15:59

Ou pelo menos se tem a impressão de que ela trabalha melhor: é na Paraíba que está a polícia mais bem avaliada por quem foi atendido. RS e Rio vêm em seguida


Marco Prates, de


Divulgação/PMSP

Policiais militares de São Paulo: em 9º lugar de aprovação do Brasil. Paraíba tem os melhores números, seguido por RS e RJ

São Paulo – As polícias militar e civil da Paraíba são as que mais deixaram satisfeitos os cidadãos que entraram em contato com ambas as corporações no último ano. O número chega a 65,6% no estado, o índice mais alto do Brasil (veja tabela com números de todo o país abaixo). Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro aparecem em seguida com as forças de segurança mais bem avaliadas.

Os dados são da Pesquisa Nacional de Vitimização, do Ministério da Justiça, lançada na última semana.

O caso do Rio é particularmente inusitado: os moradores do estado apresentam um dos três menores índices de confiança nas polícias militar e civil dentre todos os estados, mas os números são mais elevados que a média nacional quando é feita a avaliação de satisfação por quem foi de fato atendido nos 12 meses anteriores à pesquisa.

Esses números não são similares para todas as ocorrências: atingem elevados 74,3% de satisfação em acidentes de trânsito e 59,5% para roubos de carro, mas fica em 38,4% para furto de motos e 41,2% em casos de ofensa sexual.

É preciso ressaltar que a aprovação em muitos casos está mais ligada à cordialidade dos policiais (23,2%) do que à resolução efetiva dos casos por meio da recuperação de bens (5,7%) ou porque os criminosos foram presos (3,7%).

Foram entrevistados 78 mil pessoas em 346 municípios, no período de junho de 2010 a maio de 2011 e junho de 2012 a outubro de 2012.

Veja a tabela abaixo por estado:
 EstadoSatisfação com trabalho das polícias na CAPITAL (%)Satisfação com trabalho das polícias no ESTADO (%)Quão a polícia é mais bem avaliada na capital? (em pontos percentuais)
Paraíba8165,615,4
Rio Grande do Sul5564,5-9,5
Rio de Janeiro69,458,510,9
Pernambuco62,458,34,1
Espírito Santo51,558,1-6,6
Distrito Federal57570
Bahia61,456,54,9
Minas Gerais62,356,16,2
São Paulo5955,63,4
10ºRio Grande do Norte65,655,110,5
11ºMato Grosso do Sul54,155-0,9
12ºSanta Catarina58,954,64,3
13ºParaná47,753,5-5,8
14ºCeará45,149,9-4,8
15ºAcre50,749,31,4
16ºRondônia40,449-8,6
17ºGoiás50,748,72
18ºMaranhão50,748,32,4
19ºSergipe54,547,86,7
20ºMato Grosso50,847,53,3
21ºAmapá46,947,1-0,2
22ºAmazonas49,146,72,4
23ºPará51,144,56,6
24ºAlagoas38,643,5-4,9
25ºTocantins4841,96,1
26ºRoraima41,441,40
27ºPiauí40,437,23,2