ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

HERÓI: POLICIAL CIVIL MORRE A REAGIR A ASSALTO CONTRA ESTUDANTE

ZERO HORA 03/12/2013 | 01h59

Policial civil morre após ser baleado em tentativa de assalto em Porto Alegre. Servidor não resistiu a cirurgia e morreu no Hospital de Pronto Socorro

Mauricio Tonetto



O policial civil do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) Carlos Heitor Bossler, 58 anos, morreu na madrugada desta terça-feira no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre. Ele não resistiu a uma cirurgia após levar três tiros em uma tentativa de assalto na noite de segunda-feira no bairro Santo Antônio.

Carlos Bossler estava à paisana próximo à sua casa, que fica nas imediações da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), quando viu dois homens armados tentando levar um Fiat Bravo de um estudante na Rua Carlos Pessoa de Brum, por volta das 19h.

Ele reagiu e trocou tiros com os criminosos. Uma das balas entrou pela perna e subiu para o abdomen, causando hemorragia. O policial foi socorrido e levado às pressas para o bloco cirúrgico do Hospital de Pronto Socorro, mas não resistiu aos ferimentos.

Ele atuava junto ao delegado Eduardo de Oliveira César, da Delegacia de Capturas do DEIC. Após o tiroteio, os suspeitos eram procurados por agentes do departamento. O estudante vítima da tentativa de roubo não foi ferido.