ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

SEGURANÇA SEM SEGURANÇA




Marlon Willrich via facebook 23 de setembro de 2013 17:25

DESABAFO DE UM VETERANO CANSADO.

Juci Vidal

Pessoal, recomendo a leitura:




Foi ontem à noite no programa Caso de Polícia da Rádio Uirapuru. O sargento da Brigada Militar, próximo da aposentadoria desabafou: estou desolado, estou desmotivado, a classe brigadiana está sem segurança nenhuma por parte do Governo do Estado. Ninguém toma as nossas dores, os comandantes, os chefes não ouvem o clamor de dentro da tropa. Estou saindo trinta anos depois da corporação que me deu orgulho quando soldado e agora como sargento. Nesse período cheguei ser humilhado e ameaçado de morte por um sem lei que duas vezes mandei para a delegacia. As duas vezes ele foi lá e voltou para as ruas, e jurou-me de morte. Não tenho medo de morrer....

Minha preocupação é com os demais colegas da corporação, que são humilhados todos os dias, suas famílias abandonadas todos os dias, numa corporação que já foi orgulho do Rio Grande, comandados por homens que estão lá por nomeação e não por direito ou merecimento. Estou indo embora da Brigada, aposentado, mas muito magoado.

Foi o que disse esse policial, e eu como observador chego à conclusão que segurança pública nos últimos governos não é programa de Estado e sim programa eleitoral de governo.

Pregam, divulgam milhões e milhões para a segurança pública, mas aonde está esse dinheiro? Aonde foi empregado? Num estado em que se paga mal, mal não, muito mal - é o pior salário da segurança pública de todo o país. Brigadianos pagando aluguel porque o governo não tem uma política habitacional para os policiais.

Que saudade de um Américo Leal, um dos grandes secretários de segurança pública, que usava a seguinte frase: “Bandido é bandido e comigo é no bico, no cano do revolver!”.

Só que estes partidos políticos que estão aí, que se dizem solidários, são solidários com a bandidagem e não com a comunidade de bem que lhes paga o salário. Muito menos com quem tem o compromisso de me defender como cidadão comum e minha família.

Judiciário, legislativo e executivo, ou vocês mudam seu modo de fazer política ou a segurança vai continuar sem segurança.