ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

CRITICANDO O ESCUDO DA SOCIEDADE

Via facebook

Danesi Cavalheiro Dos Santos

Acabei de ver mais uma investida da Globo contra a polícia, mais especificamente contra as Unidades de Polícia Pacificadoras (UPP). Foi no programa do JO ao entrevistar uma senhora dos direitos humanos e casualmente fundadora do PT.Só falaram contra a polícia, em nenhum momento diretamente contra o tráfico, nem contra os bandidos. Os imóveis mais que dobraram com as UPP - apenas um dos indicadores de que as UPP são uma conquista. 

Aí eu pergunto: Se essa senhora fosse uma governadora do RJ e tirasse a polícia um único dia das ruas e favelas do Rio, como seria? Será que extinguiria o BOPE, ou as UPP? Talvez assim ela mesmo entendesse a real importância da polícia. 

Gostaria apenas de entendê-la, ou ela vive uma utopia, ou é muito ingênua, ou quer o fim da sociedade mesmo, pois é comprovado tanto cientificamente, quanto na prática do dia a dia que sem ordem, não há sociedade, nem mesmo no Rio. 

As UPP podem não ser perfeitas, mas vocês lembram a verdadeira Guerra que imperava no Complexo do Alemão, na Rocinha, na Vila Cruzeiro, no Vidigal, Dona Marta, Morro dos Macacos, etc antes das UPP?? 

A Guerra do Tráfico era a única regra daquelas comunidades; era um estado paralelo. Só polícia não foi o bastante para vencer a batalha contra o tráfico, sendo necessário o apoio das Forças Armadas para que o Estado debelasse o poderio bélico dos bandidos.

Quem tem memória lembra, foi num passado recente. Compare e analise essa questão de forma crítica e coerente, não se deixe enganar.