ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

RIO: TENENTE E CABO PM FLAGRADOS EM SUBORNO

O GLOBO - 17/05/2013 - 11:08

Cabo e tenente da PM são presos quando recebiam suborno de comerciante em Resende

Extra



Um oficial da Polícia Militar e um praça do 37º BPM (Resende) foram presos em flagrante, nesta sexta-feira, por agentes da Corregedoria Interna da corporação, quando recebiam dinheiro de um comerciante. O primeiro tenente Rafael Farnochi Cordeiro, que atuava como oficial supervisor das equipes do batalhão, e o cabo Auriston de Freitas Ferreira, motorista da unidade, foram flagrados quando um comerciante entregava a eles R$ 700 para não ser preso. O crime ocorreu no bairro Toyota, em Resende, no Sul Fluminense.

Segundo as investigações, numa ação ocorrida há alguns meses, os policiais encontraram drogas no comércio. O tenente teria pedido R$ 4 mil para não levar o acusado para a delegacia. O comerciante alegou não ter conhecimento da droga e procurou a Primeira Promotoria de Justiça Criminal da Comarca de Resende, comunicando o crime de extorsão. A Justiça encaminhou a denúncia à Corregedoria da PM.

Os policiais foram levados para a 5ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM) e serão encaminhados à Unidade Prisional.