ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

MÁSCARAS DE GÁS

ZERO HORA 09/04/2014 | 01h40

Policiais militares utilizarão máscaras de gás durante a Copa do Mundo. Estado receberá 300 equipamentos de proteção individual que distribuidora diz serem inspirados em personagem de Star Wars



Foto: Divulgação / Welser Ita


Não se surpreenda ao ver tropas com máscaras parecidas com a de Darth Vader, personagem de Star Wars (Guerra nas Estrelas) durante a Copa do Mundo no Brasil.

O novo equipamento especial, adquirido pelo Ministério da Justiça para a Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos, será utilizado pelas polícias militares de 11 Estados e do Distrito Federal.

No Rio Grande do Sul, as máscaras devem ser entregues ao Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar. Os equipamentos são do modelo Avon C50. Segundo a distribuidora do produto, Welser Itage, com sede no Rio de Janeiro, as máscaras são inspiradas no vilão da série Star Wars. O objetivo da inspiração, conforme a empresa, seria estimular um efeito psicológico no oponente, provocando medo.

– Se tu enxergares a máscara e a comparares com o capacete laranja (do BOE), o impacto psicológico é maior. Tira a figura humana. Traz uma imagem de espaço, não estarás vendo um homem, mas algo que parece um ciborgue – explica o major Mario Augusto Ferreira, comandante da 1ª Companhia de Choque do BOE.

O governo federal comprou 3,2 mil unidades que devem ser distribuídas com kit de proteção individual. O Rio Grande do Sul deve receber 300 unidades. Cada um dos kits (leia quadro) custa R$ 27 mil. Ao todo, o investimento é de R$ 8,1 milhões. O coronel Erlo Pitrosky, secretário executivo da Assessoria de Segurança da Copa, explica que esse kit e outros equipamentos continuarão sendo utilizados depois do Mundial, ficando como legado:

– Não tem comparação com os equipamentos utilizados atualmente. São equipamentos de ponta, de alta tecnologia e caros, mas que temos necessidade. A Copa agilizou muito a modernização dos equipamentos, e tudo isso vai ficar como legado. Por isso, estamos tão preocupados em treinar o servidor – afirma Pitrosky.

O coronel se refere também a outros equipamentos, como o imageador aéreo, que registra imagens com até três quilômetros de distância à noite e sob neblina, que começa a ser testado nesta quarta-feira. Outra aquisição será o antibombas com raio X. O oficial estima que todo o kit deve pesar cerca de 20 quilos.

O kit

Quais são os itens que a BM terá

l Máscara Avon C50
l Escudo
l Capacete balístico
l Lançador de munição
l Traje antitrauma
l Balaclava antichama
l Luvas táticas
l Extintor com suporte tipo mochila