ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 15 de abril de 2014

MARIA UPP ATRAPALHA VIDA DE POLICIAIS

O DIA 15/04/2014 11:49:15

PMs que teriam se envolvido com a 'Maria UPP' sofrem com ciúmes das esposas. Alguns policiais teriam sido expulsos de casa por suas respectivas mulheres


ROBERTA TRINDADE



Rio - Depois da Corregedoria da Polícia Militar começar uma investigação sobre a denúncia de que militares de serviço fizeram sexo com uma mulher, apelidada de "Maria UPP", nas bases de Unidades de Polícia Pacificadora, as esposas de alguns PMs também "entraram em ação". Elas estão expulsando de casa os maridos infiéis e, pelo menos, 30 deles já teriam recebido o "cartão vermelho".


Mulher chegou a tatuar 'UPP' em homenagem aos policiaisFoto: Reprodução Internet

Reconhecido como um dos PMs fotografados em uma cena de sexo oral com a Maria UPP, um soldado lotado numa favela pacificada da Zona Norte do Rio e casado com uma policial militar está dormindo no 22º BPM (Benfica) desde domingo. Fotos e vídeos da Maria UPP em ação circulam entre os policiais através de mensagens de WhatsApp, aplicativo de bate-papo pelo celular.

A "tropa das patroas" tenta chegar à tal Maria UPP. Para isso, elas já estão montando escalas de visitas surpresa aos maridos durante as madrugadas, hora em que a moça costuma se "apresentar" para o serviço, que é feito de graça.

Nesta segunda-feira, um dia depois da publicação da reportagem no MEIA HORA , a Maria UPP, que se diz viciada em sexo com PMs, foi flagrada mudando de rota: ela trocou as Unidades de Polícia Pacificadora nas favelas e esteve num batalhão. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) instaurou uma sindicância para levantar quais unidades foram visitadas pela mulher e quais policiais se relacionaram com ela durante o horário de serviço. Após a conclusão desse procedimento apuratório, o caso será encaminhado à 8ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM).

Posto de ‘musa’ é disputado por moradora do Adeus

Adiantada nas investigações para fechar o cerco aos maridos infiéis, a "tropa das patroas" descobriu que a Maria UPP — uma pernambucana de 23 anos moradora da Praça Seca, na Zona Oeste do Rio — tem uma concorrente à altura, que mora no Morro do Adeus, no Complexo do Alemão, na Zona Norte, e disputa com ela o título de "Musa dos PMs". Apesar de não ser tão ousada como a rival — que tatuou a sigla UPP perto da virilha —, ela também é desinibida e pode ser vista em vídeo acompanhada por outros cinco PMs fardados.

A Maria UPP "original" já teria se deitado com mais de mil PMs. Nas fotos dela em ação, a moça aparece com mais de um policial. Em uma das imagens, ela está vestindo uma farda e segurando um fuzil; e em outra, um homem apoia uma pistola em suas costas.