ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

SARGENTO PM DA RESERVA NO TRÁFICO DE DROGAS



DIÁRIO GAÚCHO 11/06/2014 | 20h52


Sargento da reserva da BM é preso por tráfico de drogas em Canoas. Homem foi detido em flagrante durante ação do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc)



Um sargento da reserva da Brigada Militar (BM) foi preso por tráfico de drogas nesta quarta-feira em Canoas, na Região Metropolitana. O homem foi detido em flagrante durante uma ação do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc).

Doze policiais civis cumpriram dois mandados de busca e apreensão em residências dobairro Guajuviras, definido como Território da Paz, por volta das 15h. Em uma das casas, o sargento da reserva foi preso em flagrante por tráfico de drogas. No local, foram apreendidos 130 buchas de cocaína, 50 gramas de maconha, R$ 3,2 mil em dinheiro, balanças de precisão e um rádio comunicador.

Conforme o delegado Adriano Nonnenmacher, o policial militar aposentado seria o responsável pelo comando do tráfico no local.

— A investigação apontou que sargento e os familiares vendiam cocaína para um grande fluxo de usuários — relata o delegado, que observou o ponto por cerca de um mês.

Outros três familiares do sargento, uma mulher e dois homens, também foram detidos e encaminhados ao Denarc, onde foram ouvidos e liberados. Eles são investigados como suspeitos de tráfico de drogas. A investigação segue em andamento e novas ações relacionadas ao caso devem ser feitas na manhã de quinta-feira, conforme Nonnenmacher.

O sargento, que não teve o nome divulgado pela polícia, foi encaminhado ao Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar, onde permanecerá detido.

A investigação partiu de uma ação do Denarc que visa coibir o tráfico de drogas em locais denominados como territórios da paz no Estado.