ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 3 de junho de 2014

A RESILIÊNCIA COMO ESTÍMULO NO TRABALHO




ZH 03 de junho de 2014 | N° 17817

ARTIGO


ANA MARIA ROSSI*




Nesse cenário, o conceito de resiliência se torna fundamental para quem convive com o estresse diário. A resiliência é definida como uma força positiva que ajuda o indivíduo a manter um funcionamento estável durante e após exposição a situações estressantes. Ser resiliente inclui ter estratégias eficientes para lidar com o estresse, capacidade de se adaptar a ambientes estressantes e manter um funcionamento físico e mental estável em períodos de alta pressão.

Pesquisas da International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR) mostram que 69% dos trabalhadores brasileiros apontam que a maior fonte de estresse vem da atividade profissional. O trabalho, tão necessário para a valorização pessoal, não deve se transformar em um problema, mas, infelizmente, apenas 23% dos trabalhadores brasileiros foram identificados pela Isma-BR como tendo características de resiliência.

Um diagnóstico adequado é fundamental para que empresários e trabalhadores se conscientizem dos agentes estressores e promovam programas eficazes para reduzir as pressões. Estudos revelam que as empresas podem economizar até 34% diminuindo os índices de tensão no trabalho. Estatística fácil de entender, se considerarmos que o trabalhador estressado tem um desempenho, em média, de cinco horas a menos.

Acreditando que a disseminação de conhecimento e experiências ajuda trabalhadores e empresas a atuar na redução das causas de estresse e na adoção de comportamentos resilientes para criar estratégias de gerenciamento que permitam uma vida mais saudável e produtiva, será realizado de 3 a 5 de junho o 14º Congresso de Stress da Isma-BR, em Porto Alegre, tendo como tema Trabalho, Stress e Saúde: a resiliência no trabalho – da teoria à ação. Já que o estresse é parte da nossa vida, queremos lidar com ele com eficiência. Ser resiliente inclui ter estratégias para lidar com o estresse


*Presidente da Isma-BR e representante brasileira na Divisão de Saúde Ocupacional da Associação Mundial de Psiquiatria