ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sábado, 20 de setembro de 2014

GOVERNO DO RIO DEMITE MAJOR PM MILICIANO

JORNAL EXTRA 19/09/14 12:04


Governo do Rio demite major da PM condenado por integrar milícia de Rio das Pedras



Major Dilo Pereira Soares Junior é acusado de integrar uma milícia que atuava em Rio das Pedras, na Zona Oeste do Ri Foto: Fernando Quevedo / 13.07.2001


Extra


O major Dilo Pereira Soares Junior, condenado por integrar uma milícia que atuava em Rio das Pedras, na Zona Oeste do Rio, foi oficialmente expulso da Polícia Militar nesta sexta-feira. De acordo com a nota publicada no Diário Oficial, a demissão foi decretada pelo governador Luiz Fernando Pezão, e determinada no acórdão proferido e julgado pela Seção Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Ao lado de outros 11 policiais, Dilo foi condenado por formação de quadrilha armada no início de 2013. Ele e mais dois agentes também acabaram enquadrados pelo crime de lavagem de dinheiro — na soma, o major pegou pena de 16 anos e seis meses de prisão. De acordo com o advogado Renato Tonini, que o representa no caso, Dilo recorreu da sentença e aguarda o prosseguimento do processo em liberdade.

Este não foi o único crime pelo qual major Dilo foi acusado durante sua trajetória na corporação. No inicio da década de 90, seu nome constou numa lista de supostos beneficiados por propinas do jogo do bicho. Além da ligação com milícia e jogo do bicho, pela qual não foi condenado, o major Dilo é réu num processo sobre um homicídio ocorrido em 1997. O caso foi desarquivado em abril deste ano e tramita no 1º Tribunal do Júri da capital. Ainda não há data para o julgamento.

Outros expulsos

Nesta quinta-feira, outras duas expulsões foram publicadas no Diário Oficial: a do major Antonio Ricardo da Silva Ramos, que responde por ligações com uma quadrilha que explorava máquinas caça-níquel e o transporte alternativo em São Gonçalo e Niterói; e a do tenente Ricardo Araújo Delgado, condenado em primeira instância pela morte de dois estudantes, também em Niterói.


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/governo-do-rio-demite-major-da-pm-condenado-por-integrar-milicia-de-rio-das-pedras-13985209.html#ixzz3DrnrcyFV