ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

domingo, 28 de dezembro de 2014

PMS BLOQUEIAM RODOVIA EM PROTESTO POR MORTE DE COLEGA

ZERO HORA em 28/12/2014 | 20h58

PMs bloqueiam freeway em protesto por morte de colega. Manifestação durou pouco mais de 30 minutos, provocando lentidão entre as proximidades da GM e o trevo da ERS-118, em Gravataí



Grupo de PMs interrompeu o trânsito no sentido Litoral - Capital Foto: Concepa / Divulgação



Um grupo de cerca de 20 policiais militares bloqueou a freeway, em Gravataí, por volta das 20h10min deste domingo. O bloqueio ocorreu no km 75, sentido Litoral — Capital e durou pouco mais de 30 minutos.

Por volta das 20h30min, os manifestantes liberaram o trânsito em duas faixas. Mesmo assim, às 20h40min, a manifestação ainda provocava sete quilômetros de congestionamento na rodovia, no trecho entre as proximidades da GM e o trevo da ERS-118. O tráfego foi totalmente liberado por volta das 20h45min.

Equipes da Concepa, concessionária que administra a freeway, e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) monitoraram a manifestação.

Os PMs protestavam contra a morte do sargento da Brigada Militar (BM) Sílvio Rodrigo, assassinado em uma emboscada na tarde deste sábado, em Gravataí. O policial trabalhava em Canoas, no 15º Batalhão de Polícia Militar, e estava chegando em casa quando foi abordado por dois homens em uma moto. Rodrigo teria reagido, houve troca de tiros e o policial acabou morrendo no local.

Na tarde deste domingo, outro policial foi morto na Região Metropolitana. O PM da reserva Rosvel de Jesus Dendena, 44 anos, foi morto a tiros na Rua Osório Corrêa, em Cachoeirinha. Segundo a Brigada Militar, ele teria tentado reagir a assaltantes que lhe abordaram para levar o seu carro. Atingido no peito, ele ainda foi socorrido, mas morreu no Hospital Padre Jeremias.


COMENTÁRIO DO BENGOCHEA A população pode ser conivente politicamente com este estado de insegurança, mas não é culpada pelas mazelas policiais, e é negativo prejudicá-la ainda mais. A culpa é dos Poderes normativo, judicial e executivo, federal e estaduais, que tratam com descaso, leniência e permissividade as questões de justiça e segurança pública. É ao poderes que devemos direcionar as nossas reivindicações e não contra uma população aterrorizada e refém das leis permissivas, da justiça leniente, da politicalha, do descaso administrativo e da gestão partidária da segurança pública. A melhor estratégia é conquistar o apoio da população e das entidades da sociedade organizada gaúcha, e não colocar estas contra a polícia. É o que penso, respeito o pensamento contrário.