ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

PASSE LIVRE PARA PMS E GUARDAS SEM FARDA


 

ZERO HORA 11 de novembro de 2014 | N° 17980


CARLOS ISMAEL MOREIRA

PASSE LIVRE NOS ÔNIBUS. Câmara aprova isenção de tarifa para PMs sem farda

PROJETO TAMBÉM BENEFICIA guardas municipais e bombeiros. Para que passe a valer, medida precisa ser sancionada pelo prefeito José Fortunati



A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou ontem, por unanimidade, o projeto que isenta policiais militares sem farda – desde que em horário de serviço – do pagamento de passagem nos ônibus da Capital. Pela proposta, o benefício também vale para guardas municipais e bombeiros. O prefeito José Fortunati tem até 15 dias para sancionar ou vetar a proposta.

Antiga reivindicação da categoria, a isenção para brigadianos à paisana voltou a ser debatida depois que o soldado Márcio Ricardo Ribeiro, que estava fardado, foi morto a tiros dentro de um coletivo da linha Itapuã, de Viamão, em 16 de outubro. O PM foi atingido por sete disparos, um deles na cabeça, durante assalto ao ônibus.

– Queremos assegurar a integridade física dos PMs e de todos os passageiros nos ônibus. A farda já foi símbolo de inibição do crime. Mas hoje em dia, o uso dela está trazendo até insegurança – observou o vereador Cássio Trogildo (PTB), autor do projeto.

O presidente da Associação de Cabos e Soldados da Brigada Militar (Abamf), Leonel Lucas, elogiou a aprovação do texto:

– Muita gente via como um ato de covardia, mas a intenção é que sejamos elemento surpresa nas ocorrências de crimes.

Se a lei for sancionada, os beneficiados só precisarão apresentar documento de identificação funcional ou cartão eletrônico de passe gratuito emitido pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) para usar os ônibus.

A exigência da farda já havia sido retirada em 1992 da lei que regulamenta a isenção, mas faltava especificar a forma como seria feita a identificação dos policiais.