ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

NUMERO DE PMs APOSENTADOS SERÁ MAIOR QUE OS ATIVOS

ZERO HORA 12/05/2015 | 09h53min


Faltam 16 mil policiais. Pela primeira vez, o Estado pode ter mais policiais aposentados do que na ativa. Rio Grande do Sul deveria ter 37 mil policiais militares, mas há só 21.507 brigadianos na ativa


por Deni Zolin



Foto: Ronald Mendes / Ag. RBS


O Estado deveria ter 37 mil policiais militares, mas há só 21.507 brigadianos na ativa _ faltam 16 mil policiais, déficit de 42%. É por esse motivo, e também pela quantidade de PMs nas áreas administrativas, que quase não se vê policiais nas ruas. Outro dado preocupante é que, pela primeira vez, o Estado pode ter mais policiais aposentados do que na ativa. O total de inativos já chega a 21.318. Só nos últimos 12 meses, 943 PMs saíram da ativa.

Para economizar, é preciso reduzir a corrupção, a má gestão e tentar controlar o endividamento, que consome boa parte do dinheiro público devido ao pagamento dos juros. Porém, é bem provável que os governos terão de rever as regras de aposentadorias de boa parte dos servidores públicos no país. Caso contrário, no futuro, não haverá dinheiro para pagar tantos aposentados. Até porque há muita gente se aposentando com 50 anos e vivendo até 90 ou 100 anos.

Alguma mudança será necessária, pois se hoje os salários de professores estaduais e PMs já são baixos, imagina no futuro, se as contas ficarem ainda mais apertadas. Ou será preciso buscar alternativas, como aumentar a arrecadação, talvez taxando as grandes fortunas. Esse debate precisa ser feito logo, antes que a situação das contas públicas se agrave ainda mais.