ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

POLICIAIS MILITARES REFORÇAM ATITUDE DE OFICIAL

ZERO HORA 12 de junho de 2015 | N° 18191


KYANE VIVES


PMs reforçam atitude de oficial. TENENTE-CORONEL DISSE a jornalistas para que chamassem o Batman após denúncia de crimes



Uma nota de apoio ao tenente-coronel Francisco Lannes Vieira está ganhando repercussão nas redes sociais. Até a noite de ontem, a publicação, feita no Facebook por uma servidora da Brigada Militar, havia recebido 588 curtidas, 1.358 compartilhamentos e 81 comentários.

O comandante do 9º BPM deu uma declaração polêmica na noite do último sábado, após receber denúncia de que estariam ocorrendo assaltos no Parque da Redenção durante a Serenata Iluminada. Em um grupo do WhatsApp, ele respondeu a jornalistas que “quem frequenta esse tipo de evento não quer BM perto. Agora aguentem! Que chamem o Batman! Ou o Super-homem”.

Na nota, acompanhada de uma foto do comandante (reproduzida acima), o público é convocado a fazer uma campanha de apoio ao oficial Vieira.

Presidente da Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar e dos Bombeiros do Rio Grande do Sul, Aparício Santelano diz que apoia a campanha no sentido “de que o oficial não seja punido”.

– Há um desestímulo para a nossa profissão, o que deixa os servidores insatisfeitos. Ele (Vieira) não fez isso por maldade. Nós apoiamos que ele não seja punido. Não é uma punição que vai resolver o problema da segurança pública. Temos coisas mais importantes na segurança para nos preocupar. Acho que nós temos de esquecer isso aí – declarou Santelano.

Leonel Lucas Lima, presidente da Abamf – associação de cabos e soldados –, também é a favor da campanha e diz que a declaração do oficial é “o que todos os servidores gostariam de falar”.

– A Brigada Militar é médica, psicóloga, parteira, mas não tem reconhecimento. Nós temos de ser onipresentes, mas ninguém pergunta quais são nossas condições. O oficial errou de personagem. Hoje, deveria ser o Homem de Ferro – afirmou Lima.

No domingo, o comandante do policiamento da Capital, Mário Ikeda, disse que a mensagem não foi uma resposta oficial da Brigada. Os organizadores da Serenata Iluminada garantiram ter comunicado a polícia sobre o evento.


A MENSAGEM QUE REPERCUTIU

Imagem ganhou as redes sociais com mais de 1,3 mil de compartilhamentos