ALERTA: A criminalidade e a violência crescem de forma assustadora no Brasil. Os policiais estão prendendo mais e aprendendo muitas armas de guerra e toneladas de drogas. A morte e a perda de acessibilidade são riscos presentes numa rotina estressante de retrabalho e sem continuidade na justiça. Entretanto, os governantes não reconhecem o esforço e o sacrifício, pagam mal, discriminam, enfraquecem e segmentam o ciclo policial. Os policiais sofrem com descaso, políticas imediatistas, ingerência partidária, formação insuficiente, treinamento precário, falta de previsão orçamentária, corrupção, ingerência política, aliciamento, "bicos" inseguros, conflitos, autoridade fraca, sistema criminal inoperante, insegurança jurídica, desvios de função, disparidades salariais, más condições de trabalho, leis benevolentes, falência prisional, morosidade dos processos, leniência do judiciário e impunidade que inutilizam o esforço policial e ameaçam a paz social.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

PRESO FOGE DE DELEGACIA E MATA POLICIAL A TIROS



ZERO HORA 17 de julho de 2015 | N° 18229


POLÍCIA HOMICÍDIO EM ALVORADA


HOMEM TIROU ARMA do agente durante luta e disparou duas vezes, mas foi recapturado depoisO policial civil Valdecir Machado foi surpreendido e morto por um homem que havia fugido da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Alvorada, na qual o agente era lotado. O crime ocorreu no início da tarde de ontem e foi o desdobramento de uma ocorrência iniciada durante a manhã.


O suspeito de assassinar o policial, identificado como Hamilton Wilian Nery Ferreira da Silva, 23 anos, havia sido preso durante a manhã pela Brigada Militar (BM), por um crime relacionado à Lei Maria da Penha. Então foi levado à DPPA, onde deveria ser autuado em flagrante.

O suspeito, no entanto, permaneceu pouco tempo na delegacia. No início da tarde, foi dado um alerta de que ele havia fugido. Em horário de folga para o almoço, Valdecir decidiu ir sozinho, em seu próprio carro, até o bairro onde Hamilton morava. Acabou encontrando-o na rua.

De acordo com testemunhas, o policial chegou a imobilizar o suspeito, amarrando-o com uma corda. Porém, Silva se desvencilhou e os dois ainda lutaram, até que o suspeito conseguiu pegar a arma do policial e matá-lo com dois tiros.

O suspeito voltou a ser preso pouco depois, na casa de sua mãe, no bairro Intersul.

SINDICÂNCIA DEVE APURAR CIRCUNSTÂNCIAS DA FUGA


As circunstâncias em que Hamilton conseguiu fugir da DPPA de Alvorada serão apuradas possivelmente em uma sindicância, de acordo com o delegado de Homicídios da cidade, Cassiano Cabral.

Há informações de que ele havia ameaçado se suicidar e, por isso, não teria sido colocado em uma cela – situação que pode ter facilitado a fuga.

Após matar o policial, Silva se desfez da arma, um revólver calibre 38, jogando-a em uma galeria de esgoto nas proximidades da residência de sua mãe, onde ele foi encontrado pelos agentes e preso pela segunda vez no mesmo dia.

O delegado o autuou em flagrante por homicídio e ele foi encaminhado ao Presídio Central.